Cícero Pompeu de Toledo… a dinastia do concreto

Tags

, , ,

Ele é o piloto, o homem equilibrado da administração do tricolor paulista. Aquele que encara de frente qualquer problema!

Foi assim que o torcedor conheceu um pouco mais da trajetória de Cícero Pompeu de Toledo, o dirigente dedicado que nunca deixava seu gabinete com tarefas por fazer.

A reportagem especial foi publicada pelo popular Jornal Mundo Esportivo, em 21 de agosto de 1953.

Condecorado como “Presidente de Honra” do São Paulo Futebol Clube, Cícero Pompeu de Toledo nasceu na cidade de Piracicaba (SP), em 7 de janeiro de 1910.

Filho mais velho de uma família numerosa, o jovem Cícero Pompeu de Toledo desembarcou na capital paulista nos primeiros anos da década de 1930.

Centavo por centavo, o sonho foi tomando forma! Crédito: revista Tricolor número 77.

Trabalhando como Tabelião no Sexto Tabelionato de Notas, sua identificação com o recém fundado São Paulo Futebol Clube ficou mais próxima em 1939, ano em que frequentou o clube com maior intensidade.

Fez parte da diretoria do tricolor em 1943, como segundo secretário na gestão de Décio Pacheco Pedroso.

O jovem piracicabano continuou oferecendo seus préstimos nos mandatos de Roberto Gomes Pedrosa em 1946; e depois, na administração de Paulo Machado de Carvalho em 1947.

Em setembro de 1947 foi eleito presidente do São Paulo, função que ocupou até 1957, quando foi afastado de suas atribuições por problemas de saúde.

Com Cícero Pompeu de Toledo na presidência, o São Paulo caminhou firme e faturou o campeonato paulista nas temporadas de 1948, 1949, 1953 e 1957, uma época de transformações significativas nos assuntos do futebol.

O imponente complexo de obras, um desafio sem precedentes! Crédito: revista Tricolor número 83 – Setembro de 1960.

Em destaque, Cícero Pompeu de Toledo e a maquete do futuro Estádio do Morumbi. Crédito: revista Tricolor número 83 – Setembro de 1960.

Graças aos títulos conquistados na década de 1940, os custos foram elevados e a arrecadação das bilheterias já não era mais suficiente para manter um time competitivo.

E foi justamente nesse período que o rascunho de um novo estádio ganhou força entre conselheiros e dirigentes.

Dessa forma, Cícero Pompeu de Toledo levou em conta o parecer técnico inicial do economista do Banco Bradesco, o senhor Laudo Natel, que na oportunidade alertou para o enorme sacrifício financeiro.

Contudo, logo ficou evidente que o terreno do Canindé não seria suficiente para tamanho empreendimento.

Então, pela quantia de 12 milhões de cruzeiros, o complexo do Canindé foi vendido para um conselheiro do clube, o senhor Wadih Sadi, com uma cláusula de permanência do departamento de futebol até a conclusão do novo “Estádio Nove de Julho”, um dos primeiros nomes escolhidos para o atual Morumbi.

Nas páginas da revista Tricolor, o reconhecimento do empresariado paulista ao esforço abnegado dos dirigentes tricolores. Crédito: revista Tricolor número 83 – Setembro de 1960.

Laudo Natel e Cícero Pompeu de Toledo, os presidentes da “Comissão Pró-Estádio”. Crédito: revista Tricolor número 91 – Janeiro de 1962.

Diante de uma preocupante realidade, a busca por um terreno adequado enfrentou uma infinidade de adversidades nas regiões do Ibirapuera e Pinheiros.

Sem esmorecer, Cícero Pompeu de Toledo continuou em sua inabalável labuta ao lado dos companheiros da “Comissão Pró-Estádio”, um grupo de notáveis tricolores formado em maio de 1952.

Conforme publicado pela revista Tricolor número 83, de setembro de 1960, além de Cícero Pompeu de Toledo, a equipe era formada por Piragibe Nogueira (vice-presidente da comissão), Luiz Cássio dos Santos Werneck (secretário) e Amador Aguiar (tesoureiro).

Colaboraram também; Altino de Castro Lima, Carlos Alberto Gomes Cardim, Luíz Campos Aranha, Manoel Raimundo Paes de Almeida, Marco Gasparian, Paulo Machado de Carvalho, Pedro França Pinto, Roberto de Barros Lima, Roberto Gomes Pedrosa e Oswaldo Artur Bratke.

(*) Em razão do falecimento de Cícero Pompeu de Toledo, Laudo Natel foi nomeado como presidente da Segunda Comissão “Pró-Estádio”.

Cícero Pompeu de Toledo apresenta o local das obras do futuro estádio ao Engenheiro Lucas Nogueira Garcez. Crédito: revista Tricolor número 92 – Fevereiro de 1962.

Finalmente, com o providencial aparecimento da área da Imobiliária Aricanduva, na região do Jardim Leonor, a pedra fundamental da obra foi abençoada pelo Monsenhor Francisco Bastos, em agosto de 1952.

No dia 1º de julho de 1953, o trabalho no canteiro de obras foi iniciado para seguir fielmente o traçado original do arquiteto Vilanova Artigas, projeto que foi modificado posteriormente em 1954.

Todavia, o trabalho de Cícero Pompeu de Toledo foi bruscamente interrompido em 1957, quando os efeitos de um tratamento de saúde debilitante o afastaram da rotina do clube.

Em março de 1958, Cícero Pompeu de Toledo foi condecorado pelo conselho deliberativo como “Presidente de Honra” do São Paulo Futebol Clube.

Sofrendo com um tumor cerebral, Cícero Pompeu de Toledo faleceu na cidade de São Paulo (SP), em 8 de setembro de 1959. Deixou nosso convívio sem ao menos poder testemunhar o nascimento de sua importante contribuição.

Coragem e sacrifício. O Estádio do Morumbi foi batizado com seu nome! Crédito: revista Grandes Clubes Brasileiros.

Projetado pelo arquiteto Vilanova Artigas, o Morumbi só foi completamente inaugurado em 25 de janeiro de 1970. Crédito: revista Grandes Clubes Brasileiros.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Carlos Maranhão, José Maria de Aquino, Marcelo Laguna e Nélson Coelho), revista A Gazeta Esportiva Ilustrada (por Orlando Duarte), revista do Esporte, revista Grandes Clubes Brasileiros, revista Manchete, revista Tricolor (por Agnelo Di Lorenzo, Caetano Estellita Pernet, Durval Amorim Silva, João Carvalhaes, Laudo Natel, Leonardo de Barros Carvalho, Manoel Raimundo Paes de Almeida, Paulo Planet Buarque, Piragibe Nogueira e Walter Lacerda), revista O Cruzeiro, Jornal A Gazeta Esportiva, Jornal Mundo Esportivo (por Solange Bibas), Jornal O Esporte, campeoesdofutebol.com.br, globoesporte.globo.com/Agência Estado, saopaulofc.net.

Anúncios