Índio… gorrinho na cabeça e bola no pé

Tags

, , ,

Nas décadas de 1930 e 1940, o uso de um gorrinho nas cores do clube foi uma tendência adotada por um bom número de jogadores, mesmo no Rio de Janeiro, onde o verão não oferece tréguas!

Para alguns historiadores do futebol, o tal do gorrinho não era somente uma simples tendência. O referido acessório era uma proteção bem eficiente para cabecear os gomos costurados com barbante das bolas de couro da época!

E por falar em adeptos do “gorrinho”, na edição de hoje lembramos de Índio, o Aloísio Soares Braga, nascido no Rio de Janeiro (RJ) em 22 de maio de 1920.

Criado no bairro de Ramos, Zona Norte da cidade do Rio, o jovem Índio batia a sua bolinha em equipes amadoras da região até meados de 1941, quando foi bem recomendado ao São Cristóvão Athletico Club (RJ), o atual São Cristóvão de Futebol e Regatas.

Com Mundinho e Augusto da Costa como titulares absolutos no time orientado pelo técnico argentino Abel Picabéa, o promissor Índio fez parte do elenco que faturou o Torneio Municipal de 1943.

Com seu costumeiro gorrinho, Índio defendeu o Fluminense entre os anos de 1948 e 1949. Crédito: reprodução revista Esporte Ilustrado número 526 – 6 de maio de 1948.
Pelo Torneio Relâmpago de 1949, o São Paulo venceu o Fluminense por 3×2 no Pacaembu. No lance, Índio (no centro da imagem) observa uma carga faltosa do atacante Orlando sobre o goleiro Mário. Crédito: revista Esporte Ilustrado número 564 – 27 de janeiro de 1949. 

Depois da saída de Augusto da Costa para jogar no Vasco da Gama, Índio foi aos poucos encontrando o seu espaço no forte esquadrão da Rua Figueira de Melo, especialmente quando foi aproveitado como centromédio direito.

Admirador do futebol praticado pelo astro Domingos da Guia, o destemido Índio jogava em qualquer posição das linhas de defesa ou meia-cancha, tamanha sua facilidade na distribuição de bola!   

Índio permaneceu nas fileiras do São Cristóvão até o findar de 1947, quando os entendimentos de sua transferência para o Fluminense Football Club (RJ) foram confirmados. Abaixo, uma das atuações de Índio pelo São Cristóvão:

22 de novembro de 1947 – Campeonato carioca – Segundo turno – São Cristóvão 1×1 Fluminense – Estádio Figueira de Melo (RJ) – Árbitro: Alvarino de Castro – Gols: Souza para o São Cristóvão; Ademir Menezes para o Fluminense.

São Cristóvão: Joel, Mundinho e Pelado; Índio, Emanuel e Souza; Machadinho, Paulinho, Caxambu, Mical e Magalhães. Fluminense: Castilho, Gualter e Haroldo; Pascoal, Oliveira e Bigode; Pedro Amorim, Ademir Menezes, Juvenal, Orlando e Pinhegas.

Outro trio final que deu o que falar no disputado cenário carioca! Castilho em pé e Índio e Lorenzo agachados. Crédito: revista Esporte Ilustrado número 585 – 23 de junho de 1949.
O equilibrado trio médio do Fluminense. Partindo da esquerda; Índio, Pé de Valsa e Bigode. Crédito: revista Esporte Ilustrado número 603 – 27 de outubro de 1949.

Pelo Fluminense, Índio fez parte do elenco do tricolor nas temporadas de 1948 e 1949, mesmo ano em que foi vice-campeão carioca. Formou boas linhas médias, principalmente ao lado de jogadores como Bigode e Pé de Valsa.

Seu melhor momento no Fluminense aconteceu no Torneio Municipal de 1948, quando Orlando Pingo de Ouro marcou de “bicicleta” o único gol do jogo, o que valeu o título ao quadro das Laranjeiras. Abaixo, os registros do confronto:

30 de junho de 1948 – Torneio Municipal – Terceiro jogo decisivo – Fluminense 1×0 Vasco da Gama – Estádio de General Severiano (RJ) – Árbitro: Carlos de Oliveira Monteiro “Tijolo” – Gol: Orlando Pingo de Ouro aos 8’ do primeiro tempo.

Fluminense: Castilho, Pé-de-Valsa e Haroldo; Índio, Mirim e Bigode; Cento-e-Nove, Simões, Rubinho, Orlando Pingo de Ouro e Rodrigues. Técnico: Ondino Viera. Vasco da Gama: Barbosa, Laerte e Wilson; Eli do Amparo, Danilo e Jorge; Djalma, Maneca, Friaça, Ademir Menezes e Chico. Técnico: Flávio Costa.

Em 1950, Índio firmou compromisso com os “cartolas” do Botafogo de Futebol e Regatas (RJ), uma permanência relativamente curta antes de voltar muito feliz ao mesmo São Cristóvão (RJ).

Índio e Biguá antes de mais um “Fla x Flu” no gramado das Laranjeiras! Crédito: revista Esporte Ilustrado número 609 – 8 de dezembro de 1949.
Uma das formações do Fluminense no ano de 1949. Em pé: Píndaro, Índio, Pé de Valsa, Pinheiro, Castilho e Bigode. Agachados: Santo Cristo, Carlyle, Silas, Didi e Rodrigues. Crédito: revista Esporte Ilustrado.

Durante essa segunda passagem pelo seu querido São Cristóvão, Índio jogou por um pequeno período no Tupi Football Club, o alvinegro da cidade de Juiz de Fora (MG).

A informação da passagem de Índio pelo Tupi (MG) faz parte de uma entrevista especial com o jogador, um rico material publicado por José Rezende no site “albumdosesportes.blogspot.com”.

No regresso ao plantel do São Cristóvão, Índio disputou algumas partidas até 1956, para em seguida assumir o papel de treinador, uma experiência que não durou muito tempo.

Ao deixar os gramados de forma definitiva, Índio continuou jogando Futebol de Salão, passatempo que completava o gosto pelo samba e o prazer de beber ao lado dos amigos!  

Aloísio Soares Braga (Índio) faleceu na cidade do Rio de Janeiro (RJ), em 5 de outubro de 2017. De acordo com o site “fluminense.com.br”, a última aparição do ex-jogador aconteceu na “Flu-Fest” realizada no dia 22 de julho de 2017.

Gol da Portuguesa de Desportos no Pacaembu. Com o goleiro Castilho batido, Renato Violani empurra o couro tranquilamente para o fundo das redes do Fluminense, enquanto Índio e Píndaro pouco podem fazer! Crédito: revista Esporte Ilustrado número 612 – 20 de dezembro de 1949.
Uma boa formação do São Cristóvão no campeonato carioca! Em pé: Índio, Laerte, Luíz Borracha, Aloísio, Nei e Bulau. Agachados: Motorzinho, Humberto Tozzi, Cabo Frio, Ivan e Carlinhos. Crédito: revista Esporte Ilustrado.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Ruy Carlos Ostermann e Sérgio A. Carvalho), revista do Fluminense, revista Esporte Ilustrado (por Alberto Ferreira, Leunam Leite, Levy Kleiman, Luís Mendes e Walter Sampaio), revista Grandes Clubes Brasileiros, revista O Cruzeiro, revista O Globo Sportivo (por Carlos Areas e Indaiassu Leite), Jornal dos Sports, Jornal O Globo, albumdosesportes.blogspot.com (por José Rezende), blogdobolt.com, campeoesdofutebol.com.br, fluminense.com.br, globoesporte.globo.com, saocristovaooficial.com.br (por Ana Luiza Pereira), albumefigurinhas.no.comunidades.net.