Tags

, , ,

O sempre regular Eurico Pedro de Faria, lateral direito dos tempos da Academia palmeirense nos anos setenta, nasceu em Uberlândia (MG), no dia 3 de Abril de 1948.

*Alguns registros publicam a data de nascimento em 3 de setembro de 1948 e sua contratação pelo Palmeiras em 1969.

Eurico iniciou sua carreira nas divisões amadoras do Botafogo Futebol Clube da cidade de Ribeirão Preto (SP), onde assinou seu primeiro contrato profissional e permaneceu até 1968, quando foi contratado pela Sociedade Esportiva Palmeiras.

E nessa temporada de 1968, o alviverde não foi bem no campeonato paulista em razão da opção pela disputa da Copa Libertadores da América. A campanha, abaixo do esperado, foi o estopim para uma renovação no elenco.

Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Partindo da esquerda; o goleiro Leão, Toninho Guerreiro, Eurico (camisa 2) e Baldochi. Crédito: revista Placar – 25 de setembro de 1970.

Conforme publicado pelo site palmeiras.com.br, a primeira partida de Eurico pelo Palmeiras aconteceu na vitória sobre o Vasco da Gama pela contagem de 4×3, encontro amistoso realizado no dia 21 de julho de 1968.

Em 1969 Eurico viveu seu primeiro grande momento na conquista do Troféu Ramón de Carranza e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o popular “Robertão”. Abaixo, uma das participações de Eurico na campanha do Robertão:

2 de novembro de 1969 – Torneio Roberto Gomes Pedrosa – Atlético Mineiro 0x1 Palmeiras – Estádio do Mineirão Árbitro: Armando Marques – Gol: César aos 2′ do segundo tempo.

Atlético Mineiro: Careca; Humberto Monteiro, Vânder, Normandes e Cincunegui; Vanderlei Paiva e Oldair; Ronaldo, Dario, Lola (Vaguinho) e Tião. Tecnico: Yustrich. Palmeiras: Leão; Eurico, Baldochi, Nelson e Zeca; Dudu e Ademir da Guia; César (Pio), Jaime, Cardoso e Edu. Técnico: Rubens Minelli.

Dudu, Ademir da Guia e Eurico. Crédito: revista Placar.

Foto de Lemyr Martins. Crédito: revista Placar – 22 de outubro de 1971.

Depois do vice-campeonato paulista de 1971, o ano de 1972 ficou marcado na história do clube. Considerada até hoje como a “Temporada Perfeita”, Eurico viveu seu período mais produtivo no Palmeiras.

Naquele ano, o alviverde conquistou tudo: Campeão paulista de forma invicta, campeão brasileiro, campeão do Torneio de Mar Del Plata, campeão do Torneio Governador Laudo Natel e finalmente, a posse da Taça dos Invictos.

Eurico não era um apoiador frequente. Nas vezes em que chegava ao campo de ataque, o lateral servia aos companheiros e rapidamente voltava ao campo defensivo.

Raramente ausente do time por motivos de contusão ou de ordem disciplinar, em sua época de Palmeiras Eurico enfrentou grandes atacantes e perigosos ponteiros esquerdos.

Falamos de Edu (Santos), Wilsinho (Portuguesa de Desportos), Paraná (São Paulo), Aladim (Corinthians), Lula (Fluminense), Joãozinho (Cruzeiro), Loivo (Grêmio) e tantos outros valores daquele período.

Clássica formação do Palmeiras. Em pé: Eurico, Leão, Dudu, Luís Pereira, Alfredo Mostarda e Zeca. Agachados: Edu Bala, Leivinha, César, Ademir da Guia e Nei. Crédito: gazetaesportiva.net.

Partindo da esquerda; Luís Pereira, Eurico, Leão, Leivinha, Alfredo Mostarda e Ademir da Guia. Crédito: revista Placar – 13 de junho de 1975.

Ao todo, Eurico disputou 467 compromissos com 265 vitórias, 131 empates, 71 derrotas e 4 gols marcados. Os números foram publicados pelo Almanaque do Palmeiras, dos autores Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti.

Eurico ainda faturou o campeonato brasileiro de 1973 e mais duas edições do Troféu Ramón de Carranza em 1974 e 1975, além do campeonato paulista de 1974, quando ficou ausente da final contra o Corinthians e foi substituído por Jair Gonçalves.

Pela Seleção Brasileira, Eurico participou do elenco que conquistou a Copa Roca em 1971 e a Taça Independência em 1972 (também conhecida como “Minicopa”), quando foi suplente de Zé Maria do Corinthians.

No findar de 1975 seu passe foi negociado com o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, onde foi campeão gaúcho de 1977 no time comandado por Telê Santana.

Encerrou a carreira profissional em 1982. Depois continuou batendo sua bolinha na Seleção de Masters do saudoso jornalista Luciano do Valle.

Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Crédito: revista Placar – 21 de maio de 1976.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Divino Fonseca e Lemyr Martins), revista Grandes Clubes Brasileiros, revista Manchete, revista O Mundo do Futebol, revista Periquito 70, Jornal A Gazeta Esportiva, gazetaesportiva.net, lancenet.com.br, campeoesdofutebol.com.br, globoesporte.globo.com, fotos.estadao.com.br, esporte.ig.com.br, esporte.uol.com.br, site do Milton Neves (por Rogério Micheletti), palmeiras.com.br, Almanaque do Palmeiras – Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti, albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Anúncios