Tags

, , ,

O goleador Ramón da Silva Ramos nasceu em 12 de março de 1950, na usina Trapiche, cerca de 60 km de Recife (PE), na cidade de Sirinhaém.

Lá, no começo dos anos 60, ele tocava trombone e pistão na banda de música local, freqüentava o colégio e também batia sua bolinha no próprio time da usina, onde jogava como meio armador ou como ponta esquerda.

Quem treinava o time da usina era Dario, um ex jogador do América e do Sport. Quando as partidas ficavam difíceis, Ramón trocava de posição com o centroavante “Paulo Hipopótamo” e resolvia o problema.

Crédito: revista Placar.

Crédito: revista Placar.

Com essa facilidade evidente para balançar o barbante, Dario decidiu levar o jovem valor para realizar testes nas equipes de base do Santa Cruz.

No entanto, o que o técnico Dario não esperava era topar de frente com o conservadorismo do pai de Ramón, o conhecido farmacêutico e ex-presidente da câmara de vereadores, Amaro Evilásio Ramos.

Para seu Amaro, Recife era um perfeito convite para os males da perdição. Era melhor que Ramón continuasse sua vidinha pacata em Sirinhaém.

Coincidentemente, em 1967 o treinador Dario foi contratado pelo Santa Cruz, justamente para trabalhar nas categorias de base.

Imagem5

Depois de tanto insistir com o pai de Ramón, ficou acertado que um acompanhante seguiria junto com o menino na viagem e seria responsável por ele enquanto estivesse em Recife.

Na hora “H” o acompanhante desistiu e Ramón ficou quietinho dentro do ônibus e seguiu para o estádio do Arruda. Aprovado no juvenil, o jovem começou sua carreira ainda que meio temeroso das reações do pai.

Sua estréia no quadro juvenil aconteceu em 7 de setembro de 1967, na partida contra o Condor, um time do subúrbio de Recife. Para variar, no empate por 1×1, o gol foi justamente de Ramón.

No mesmo ano, foi campeão juvenil e também na categoria de Aspirantes.

Crédito: revista Placar - 21 de dezembro de 1973.

Crédito: revista Placar – 21 de dezembro de 1973.

Crédito: revista Placar - 21 de dezembro de 1973.

Crédito: revista Placar – 21 de dezembro de 1973.

O centroavante continuava sua rotina até aquele dia de 1969, quando o técnico Gradim decidiu aproveitá-lo entre os profissionais. Posteriormente, o técnico Duque efetivou o novato centroavante em seu elenco.

A estrela do atacante foi coroada com o penta-campeonato pernambucano (1969-70-71-72-73) e principalmente pela sua atuação no campeonato brasileiro de 1973, quando foi o artilheiro da competição com 21 gols marcados.

Continuou jogando pelo Santa Cruz até 1975, quando novamente o time Coral realizou uma ótima campanha no campeonato nacional.

Ramón, curtas passagens pelo Inter e pelo Sport. Crédito: revista Placar.

Ramón, curtas passagens pelo Inter e pelo Sport. Crédito: revista Placar.

Ademir Menezes e Ramón. Crédito: revista Placar.

Ademir Menezes e Ramón. Crédito: revista Placar.

Seu futebol despertou o interesse do Sport Club Internacional e no final do mesmo ano Ramón foi para o Beira Rio, deixando uma marca considerável de 148 gols em 377 jogos.

No Inter, Ramón não permaneceu por muito tempo. Logo em seguida foi contratado pelo Sport Recife, onde jogou por apenas por uma temporada e sofreu com uma estiagem de gols em 14 partidas.

Foi quando surgiu o interesse do Vasco da Gama em 1977, onde foi muito bem recebido.

A revista Placar logo tratou de fazer uma matéria especial com Ramón, o lendário Ademir Menezes e os zagueiros Abel e Brito. No mesmo ano, Ramón foi campeão carioca e transformou-se em ídolo da torcida cruzmaltina.

Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Crédito: revista Placar - 18 de fevereiro de 1977.

Crédito: revista Placar – 18 de fevereiro de 1977.

Ao lado de Roberto Dinamite, Ramón atuava como ponta esquerda. Foi uma das melhores fases na carreira do atacante. Versátil e habilidoso, adequava-se muito bem em diferentes posições e funções.

Posteriormente, o atacante iniciou sua fase de andarilho atuando primeiramente pelo Goiás entre 1979 e 1981, ano em que também foi defender o Ceará e faturou o campeonato cearense daquele ano.

Depois, Ramón ainda jogou pelo São José (SP) em 1983, mesmo ano em que voltou ao Santa Cruz. Atuou ainda pelo Ferroviário (CE) em 1984 e pelo Brasília em 1985, onde encerrou sua carreira.

Crédito: revista Placar - 29 de abril de 1977.

Crédito: revista Placar – 29 de abril de 1977.

Crédito: site do Milton Neves.

Crédito: site do Milton Neves.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Lenivaldo Aragão, Luíz Augusto Chabassus e Mílton Costa Carvalho), revista Manchete Esportiva, revista Placar, lancenet.com.br, esporte.ig.com.br, globoesporte.globo.com, gazetaesportiva.net, esporte.uol.com.br, blogs.diariodepernambuco.com.br, egoldosanta.blogspot.com, blogdosantinha.com, arquivocoral.com.br, site do Milton Neves, albumefigurinhas.no.comunidades.net.