Tags

, , ,

Poucos jogadores na história do futebol conseguiram encantar os torcedores dos maiores rivais do futebol espanhol.

Falamos de Evaristo de Macedo, dono de uma notável carreira como jogador e também como treinador. Evaristo de Macedo Filho nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 22 de junho de 1933.

Em 1950, quando contava com 17 anos de idade, Evaristo chegou timidamente ao Estádio de Conselheiro Galvão para jogar pelos Aspirantes do Madureira Esporte Clube.

Em 1951 foi aproveitado em algumas partidas no elenco principal e fez muito sucesso. Convocado pelo técnico Newton Cardoso, o atacante participou dos jogos Olímpicos de Helsinque, em 1952.

Crédito: Arquivo Público do Estado de São Paulo – Memória Pública – Jornal Última Hora.

Crédito: revista do Esporte número 318.

Possuidor de um futebol vistoso e bastante objetivo, Evaristo foi contratado pelo Clube de Regatas do Flamengo para disputar o certame de 1953.

Tricampeão carioca em 1953, 1954 e 1955, Evaristo esteve em campo na maior goleada registrada até hoje no Estádio do Maracanã.

A partida, válida pelo campeonato carioca, aconteceu no dia 27 de outubro de 1956 e o Flamengo venceu o São Cristóvão por 12×2, com 5 gols marcados por Evaristo:

27 de outubro de 1956 – Campeonato carioca segundo turno – Flamengo 12×2 São Cristóvão – Estádio do Maracanã – Árbitro: Mario Vianna – Gols: Índio 3’, Evaristo 18’, Luís Roberto 27’, Evaristo 37’, Índio 52’, Evaristo 58’, Índio 61’, Nonô 62’, Evaristo 63’, Neca 77’, Índio 78’, Evaristo 83’, Paulinho 86 ‘e Joel aos 90’.

Flamengo: Ari; Tomires e Pavão; Milton Copolillo, Luís Roberto e Jordan; Joel, Paulinho, Índio, Evaristo e Zagallo. Técnico: Fleitas Solich. São Cristóvão: Rui; Jorge e Ivã; Benedito, Osmindo e Décio; Paulinho, Nonô, Ademar, Neca e Olivar. Técnico: Índio.

Crédito: twitter.com/evaristo_macedo.

Vestindo o uniforme do Flamengo foram 182 jogos disputados com 101 vitórias, 35 empates, 46 derrotas e 102 gols marcados. Os números foram publicados pelo Almanaque do Flamengo, de autoria de Clóvis Martins e Roberto Assaf.

Em 1957 Evaristo recebeu sua primeira convocação para a Seleção Brasileira. Ao todo foram 14 participações e 8 gols marcados. O detalhe relevante desses 8 gols é que 5 deles foram marcados em uma única partida.

O feito aconteceu em 23 de março de 1957, no Estádio Nacional de Lima no Peru. O Brasil venceu a Colômbia por 9×0 em compromisso válido pelo campeonato Sul-Americano.

Ainda em 1957, Evaristo teve seu passe negociado com o Futbol Club Barcelona da Espanha, o que certamente prejudicou sua continuidade no escrete canarinho.

Crédito: revista Vida do Crack.

Evaristo e Décio Esteves. Crédito: revista Esporte Ilustrado número 954.

Mesmo considerado um dos melhores atacantes de sua época, Evaristo não disputou o mundial de 1958. Na época, a CBD (Confederação Brasileira de Desportos) não apoiava a convocação de jogadores brasileiros que jogavam no exterior.

Na vaga de Evaristo foi convocado o jovem atacante Mazzola do Palmeiras, que depois da conquista de 1958 foi negociado com o futebol italiano.

Evaristo defendeu o Barcelona de 1957 até 1962. Conquistou a Copa do Rei em 1957 e o bicampeonato espanhol em 1959 e 1960.

Com esses números expressivos, Evaristo é até hoje o maior artilheiro brasileiro da história do Barcelona, com 178 gols marcados em 226 jogos.

No final da temporada de 1962, em uma transferência considerada milionária, Evaristo foi defender o Real Madrid Club de Fútbol, onde permaneceu até 1965.

Ídolo no Barcelona. Crédito: revista do Esporte.

Crédito: realmadrid.com.

Com a camisa “merengue”, Evaristo conquistou mais um tricampeonato em 1962 1963 e 1964. Depois de vários anos na Espanha, famoso e realizado, Evaristo voltou ao seu Flamengo.

Participou do Torneio do IV Centenário do Rio de Janeiro, Torneio Rio-São Paulo, Troféu Ramón de Carranza e da conquista do título carioca de 1965.

Abaixo, uma participação de Evaristo na Taça Guanabara de 1965. Foi um empate sem abertura de contagem contra o América:

14 de agosto de 1965 – Taça Guanabara – América 0x0 Flamengo – Estádio do Maracanã – Árbitro: Antônio Viug.

América: Ari, Jorge, Alemão, Leônidas e Casimiro; Amorim e Carlos Pedro; Miro, Zezinho, Edu e Zuino. Técnico: Lourival Lorenzi. Flamengo: Marco Aurélio, Murilo, Ditão, Jaime e Paulo Henrique; Carlinhos e Fefeu; Amauri, Paulo Choco, Silva e Evaristo de Macedo. Técnico: Nilton Canegal.

Crédito: revista do Esporte número 329 – junho de 1965.

Crédito: revista Placar – 20 de outubro de 1972.

Evaristo de Macedo encerrou sua carreira no Flamengo na temporada de 1967, após o agravamento de uma contusão no joelho.

Como técnico, além de comandar o selecionado do Qatar, Evaristo trabalhou em várias equipes do Brasil. Conquistou o campeonato brasileiro, vários títulos estaduais e a Copa do Brasil:

– Bahia (BA), Vitória (BA), Cruzeiro (MG), América (RJ), Santa Cruz (PE), Atlético Paranaense (PR), Bangu (RJ), Flamengo (RJ), Fluminense (RJ), Vasco da Gama (RJ), Grêmio (RS), Corinthians (SP) e Guarani (SP). 

Dirigindo o Esporte Clube Bahia em 1988, Evaristo viveu um de seus melhores momentos como treinador na conquista do campeonato brasileiro.

Pela Seleção Brasileira Evaristo de Macedo não teve muita sorte em 1985. Acabou substituído por Telê Santana, que comandou o escrete na Copa do Mundo do México em 1986.

Crédito: revista Placar – 15 de fevereiro de 1985.

Crédito: revista Placar – 3 de agosto de 1990.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Lenivaldo Aragão, Luís Antônio Chabassus e Nélson Rios), revista do Esporte, revista Esporte Ilustrado, revista Vida do Crack, Arquivo Público do Estado de São Paulo – Memória Pública – Jornal Última Hora, museudosesportes.blogspot.com, memoriafutebol.com.br, historiadordofutebol.com.br, esquadroesdefutebol.blogspot.com, campeoesdofutebol.com.br, extra.globo.com, cacellain.com.br, site do Milton Neves (por Rogério Micheletti), fcbarcelona.com, realmadrid.com, flamengo.com.br, Almanaque do Flamengo – Clóvis Martins e Roberto Assaf, twitter.com/evaristo_macedo.

Anúncios