Tags

, , , ,

Ubirajara da Silva Alcântara, o goleiro que entrou para o “GUINNESS BOOK”, nasceu em 27 de fevereiro de 1946, na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

Começou sua trajetória em equipes do bairro da Penha e região até ser encaminhado aos quadros amadores do Clube de Regatas do Flamengo.

Profissionalizado em 1966, Ubirajara passou rapidamente por empréstimo no Olaria Atlético Clube em 1967.

Em 1969, novamente por empréstimo, Ubirajara foi campeão estadual pelo Fluminense de Feira de Santana (BA). De volta ao Flamengo participou do elenco que conquistou a Taça Guanabara de 1970.

Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Crédito: revista Placar.

Primeiro goleiro a marcar um gol com bola rolando, de sua baliza até a baliza adversária, Ubirajara deixou sua marca no famoso livro “GUINNESS BOOK”

O feito aconteceu em uma partida pelo campeonato carioca, diante do Madureira, no Estádio Luso Brasileiro. Abaixo, os registros do histórico jogo:

19 de setembro de 1970 – Flamengo 2×0 Madureira – Campeonato Carioca – Segundo Turno – Estádio Luso Brasileiro – Rio de Janeiro – Árbitro: José Mário Vinhas – Gols: Zanata (pênalti) 40’ do primeiro tempo e Ubirajara (goleiro do Flamengo) aos 30’ do segundo tempo.

Flamengo: Ubirajara Alcântara; Onça, Washington, Reyes e Tinteiro; Zanata e Rodrigues Neto; Doval, Nei Oliveira (Dario Gouveia), Fio (Adãozinho) e Caldeira. Madureira: Paulo Roberto; Ivã, Leléu, Silva e Edmar; Pitico (Norival) e Teles; Soares, Osni, Luís Carlos (Alcino) e Cléber.

Partindo da esquerda; Onça, Reyes e Ubirajara. Crédito: revista Grandes Clubes Brasileiros.

Crédito: revista Grandes Clubes Brasileiros.

Naturalmente, os presentes creditaram o feito ao acaso, ou ainda pela ajuda do famoso vento que sempre circulou naquela redondezas.

Em entrevista para a jornalista Martha Esteves da revista Placar, em 17 de agosto de 1987, Ubirajara reafirmou seu mérito descartando qualquer espécie de golpe de sorte.

– Eu sempre quis fazer aquele gol e treinava diariamente para isso!  

Ubirajara, com seu cabelo em estilo “Black Power”, sempre muito bem cuidado, também fez sucesso fora dos gramados. Foi eleito com o título de “O negro mais bonito do Brasil” pelos jurados do programa “Discoteca do Chacrinha”.

Em 1971, depois de desentendimentos com o sempre inflexível técnico Yustrich, Ubirajara deixou o Flamengo para defender o América do Rio na disputa do campeonato brasileiro.

Crédito: revista Placar.

Ubirajara em dividida com o volante Dudu do Palmeiras em partida no Morumbi. Crédito: revista Placar.

Retornou ao Flamengo em 1972 para ser campeão carioca e campeão do Torneio do Povo no time do técnico Zagallo.

Em 1973 foi emprestado para o Avaí Futebol Clube (SC), onde esteve em campo em apenas 13 oportunidades com 9 vitórias, 2 empates e 2 derrotas.

Com o passe colocado em disponibilidade pelos dirigentes do Flamengo, Ubirajara fez sucesso em outras praças, inclusive no futebol argentino pelo Ferro Carril Oeste e pela Liga Deportiva Universitária no Equador.

Conforme publicado no Almanaque do Flamengo, dos autores Roberto Assaf e Clóvis Martins, Ubirajara disputou ao todo 111 jogos com 47 vitórias, 42 empates, 22 derrotas e 1 gol marcado.

Crédito: revista Placar.

Crédito: revista Placar – 20 de julho de 1973.

Voltou ao Rio de Janeiro e jogou pelo Botafogo de Futebol e Regatas até 1980, para em seguida defender o Itabaiana (SE). Depois de encerrar sua carreira em 1982, Ubirajara morou durante dez anos nos Estados Unidos.

Quando retornou ao Brasil foi diplomado em Direito e Propaganda & Marketing, além de uma pós graduação em Treinamento Desportivo.

Em junho de 2017 Ubirajara foi homenageado pelo presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, com uma placa comemorativa pelo gol marcado contra o Madureira em 1970.

Conforme publicado pelo site do Milton Neves, atualmente Ubirajara reside no bairro da Penha, na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro.

Foto de Fernando Pimentel. Crédito: revista Placar – 20 de julho de 1973.

Foto de Fernando Pimentel. Crédito: revista Placar – 20 de julho de 1973.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Aristélio Andrade, Fernando Pimentel, Martha Esteves e Raul Quadros), revista Manchete Esportiva, revista Grandes Clubes Brasileiros, site do Milton Neves, ubirajara.bloog.it, memoriaavaiana.com.br, extra.globo.com, flamengo.com.br, Almanaque do Flamengo – Roberto Assaf e Clóvis Martins, albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Anúncios