Tags

, , ,

Ismael Mafra Cabral nasceu na cidade de Águas da Prata (SP), em 7 de fevereiro de 1938. Na juventude foi encaminhado aos quadros amadores do Clube Atlético Juventus, onde jogava na posição de centro-médio.

Foi utilizado por um curto período no quadro de Aspirantes, época em que o treinador Alfredo Gonzalez decidiu mudar sua posição para lateral-direito.

Uma bendita providência, já que mais tarde Ismael se firmou como um dos melhores laterais do futebol brasileiro.

Em 1955 prestou o serviço militar na cidade de Pirassununga (SP). Em seguida voltou para São Paulo, época em que foi defender o juvenil da Sociedade Esportiva Palmeiras,

Com muita dedicação e regularidade, Ismael assinou seu primeiro compromisso profissional e chegou ao time principal em 1956, ao lado de jogadores experientes como o goleiro Laércio e Valdemar Carabina.

Juvenil do Palmeiras. Em pé: Roberto, Ismael (em destaque), Carlinhos, Parada, Joel e Kieffer. Agachados: Wilson, Fernando, Mingo, Faustino e Hélio. Crédito: revista Campeonissimo número 28 – Novembro de 1955.

Foto de Mário Takatsui. Crédito: revista A Gazeta Esportiva Ilustrada número 193 – 1961.

Contudo, uma grave contusão na clavícula o afastou do time. Então seus direitos foram emprestados ao Esporte Clube XV de Novembro de Piracicaba (SP).

No retorno ao Palmeiras, Ismael e o companheiro Parada foram incluídos como parte do pagamento do passe de Rosan, goleiro revelado pela Associação Ferroviária de Esportes de Araraquara.

Pelo Palmeiras, Ismael disputou um total de 46 partidas; com 20 vitórias, 12 empates e 14 derrotas. Os números foram publicados pelo Almanaque do Palmeiras, dos autores Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti.

Em Araraquara, Ismael foi um dos destaques da equipe que realizou boas campanhas no campeonato paulista de 1960 e 1961.

Pela Ferroviária de Araraquara, Ismael jogou um total de 95 partidas; com 52 vitórias, 22 empates e 21 derrotas.

Crédito: revista Bola Alvinegra número 3 – Novembro de 1963 – Material publicado no site: novomilenio.inf.br.

Crédito: revista Bola Alvinegra número 3 – Novembro de 1963 – Material publicado no site: novomilenio.inf.br.

No segundo semestre de 1962, Ismael assinou contrato com o Santos Futebol Clube. Na Vila Belmiro, Ismael viveu seu momento mais produtivo!

Orientado pelo consagrado Mauro Ramos de Oliveira, Ismael aprendeu que não era nenhum demérito jogar feio quando necessário:

– Quando tiver dificuldade chute para frente, pois sempre tem uma fera lá na frente para dominar e colocar a bola no chão!

No Santos, Ismael foi bicampeão mundial interclubes em 1963, ano em que enfrentou o timaço do Milan, que contava com grandes jogadores como Amarildo, Maldini, Mazzola e Mora.

O título do “Mundial de Clubes” de 1963, competição na época batizada como “Intercontinental de Clubes”, foi decidido em 3 emocionantes partidas.

Crédito: revista Bola Alvinegra número 3 – Novembro de 1963 – Material publicado no site: novomilenio.inf.br.

Ismael sobre sua expulsão na partida decisiva contra o Milan no Maracanã. Crédito: revista do Esporte número 252 – 4 de janeiro de 1964.

O primeiro confronto foi disputado no imponente Estádio San Siro, em 16 de outubro de 1963, com o Milan vencendo o cansado Santos pelo placar de 4×2.

A segunda partida aconteceu em 14 de novembro de 1963, no Estádio do Maracanã. O Santos conseguiu uma grande virada (perdia por 2×0) e também venceu pelo mesmo placar de 4×2.

Com resultados iguais, os organizadores decidiram marcar o terceiro e decisivo encontro no mesmo Maracanã, já que o calendário dos clubes estava totalmente comprometido.

16 de novembro de 1963 – Santos 1×0 Milan (ITA) – Copa Intercontinental de Clubes – Partida Extra – Estádio do Maracanã – Árbitro: Juan Regis Brozzi (Argentina) – Expulsões: Maldini (M) e Ismael (S) – Gol: Dalmo aos 31′ do primeiro tempo.

Santos: Gylmar; Ismael, Mauro, Haroldo e Dalmo; Lima e Mengálvio; Dorval; Coutinho, Almir e Pepe. Técnico: Lula. Milan: Balzarini (Barluzzi); Benítez, Trebbi, Pelagalli e Maldini; Trapattoni, Lodetti e Fortunato; Mora, Altafini e Amarildo. Técnico: Giuseppe Viani.

Crédito: revista do Esporte número 252 – 4 de janeiro de 1964.

O Fluminense no gramado do Maracanã. Em pé: Ismael, Édson, Valdez, Altair, Luís Henrique e Bauer. Agachados: O massagista Santana, Amoroso, Samarone, Antunes, Joaquinzinho e Gilson Nunes. Crédito: revista Futebol e Outros Esportes número 7 – 1965.

Além do Mundial de Clubes de 1963 e da Taça Libertadores de 1963, Ismael foi campeão paulista de 1964 e campeão da Taça Brasil nas edições de 1962, 1963 e 1964.

Ismael deixou o Santos em abril de 1965, quando firmou compromisso por empréstimo com o Fluminense Football Club. Depois da passagem pelo cenário carioca, Ismael acertou com o São Paulo Futebol Clube.

No Tricolor do Morumbi foram apenas 10 apresentações; com 6 vitórias, 1 empate e 3 derrotas. Os registros fazem parte do Almanaque do São Paulo, do autor Alexandre da Costa.

Ismael também jogou por um curto período na Prudentina e no Coritiba Foot Ball Club nas temporadas de 1968 e 1969, quando encerrou a carreira nos gramados.

Ismael Mafra Cabral faleceu em Santo André (SP), no dia 15 de janeiro de 2009.

Ismael no Fluminense. Crédito: revista do Esporte número 339 – 4 de setembro de 1965.

Ismael no Fluminense. Crédito: revista do Esporte número 339 – 4 de setembro de 1965.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Alberto Helena Junior e José Maria de Aquino), revista A Gazeta Esportiva Ilustrada (por Antônio Jorge Moreira e Mário Takatsui), revista Bola Alvinegra, revista Campeonissimo, revista do Esporte, revista Futebol e Outros Esportes, revista Manchete Esportiva, Jornal A Gazeta Esportiva, Jornal dos Sports, Jornal O Globo, acervosantosfc.com (por Gabriel Santana e Ronaldo Silva), campeoesdofutebol.com.br, ferroviariaemcampo.blogspot.com.br, gazetaesportiva.net, novomilenio.inf.br, palmeiras.com.br, santosfc.com.br, site do Milton Neves (por Gustavo Grohmann e Rogério Micheletti), Almanaque do Palmeiras – Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti, Almanaque do São Paulo – Alexandre da Costa.

Anúncios