Tags

, ,

imagem14

Depois de um rápido empréstimo para o Cruzeiro de Porto Alegre, Hermes voltou para sua irremediável rotina na cidade de Santos.

Com a idade estourada para continuar no quadro juvenil, Hermes estava encostado na Vila Belmiro. Afinal, como esperar alguma coisa em um time que contava com o futebol de Carlos Alberto Torres?

Com 1;84 de altura, Hermes era apenas um lateral direito muito esforçado nos treinos, o que poderia perfeitamente continuar passando despercebido por todos, menos pelo olhar matreiro de Filpo Nuñez.

– O Hermes é um colosso hein? Ainda está para nascer o ponta que vai fazer o nome em cima dele. 

Em 1970 Hermes foi emprestado ao Atlético Paranaense. Crédito: revista Placar - 1 de abril de 1977.

Em 1970 Hermes foi emprestado ao Atlético Paranaense. Crédito: revista Placar – 1 de abril de 1977.

Crédito: coritiba.com.br.

Crédito: coritiba.com.br.

Os dirigentes do Coritiba aceitaram a indicação do técnico Filpo Nuñez, já que o Santos tinha grande interesse no goleiro Joel Mendes.

Dessa forma, o jovem Hermes foi colocado no negócio, que envolveu também o empréstimo de Werneck e Oberdan para o Coritiba.

Hermes da Rocha Freitas Junior nasceu na cidade de Santos (SP) em 16 de fevereiro de 1947. Iniciou sua carreira nas divisões amadoras do Santos Futebol Clube antes de chegar ao Coritiba em janeiro de 1970.

Integrado ao elenco de profissionais, o lateral direito Hermes não permaneceu por muito tempo no Alto da Glória. O Clube Atlético Paranaense faturou o título da temporada de 1970 e ainda recebeu por empréstimo os jovens Hermes e Hidalgo.

imagem21

A torcida, na bronca, não aceitou de boca calada. Hidalgo sentiu a barra e retornou pouco depois. Hermes agüentou até o fim e disputou os compromissos da Taça de Prata.

No ano seguinte, Hermes se apresentou novamente ao “Coxa”, participando inclusive de uma partida histórica diante do selecionado francês, quando marcou o gol da vitória:

18 de janeiro de 1971 – Amistoso Internacional – Coritiba 2×1 Selecionado da França – Estádio Belfort Duarte (atual Couto Pereira) – Árbitro: Armando Marques – Gols: Lech aos 42 minutos, Peixinho aos 44 minutos e Hermes aos 74 minutos.

Coritiba: Célio; Hermes, Nico, Terto (Cláudio) e Nilo; Hidalgo (Bidon) e Lucas; Peixinho (Marcos), Leocádio, Kruger (Hélio Pires) e RinaldoSeleção da França: Marcel; Lemére, Bosquier, Djorkaeff e Rostagni; Mezi e Michel; Lech, Revelli (Molitor), Loubet (Floch) (Herbé) e Beretta.

Hermes no Santos. O sonho de jogar ao lado de Pelé. Crédito: revista Placar - 1 de abril de 1977.

Hermes no Santos. O sonho de jogar ao lado de Pelé. Crédito: revista Placar – 1 de abril de 1977.

Em pé: Cejas, Vicente, Hermes, Marinho Peres, Clodoaldo e Zé Carlos. Agachados: Ferreira, Brecha, Eusébio, Pelé e Edu.

Em pé: Cejas, Vicente, Hermes, Marinho Peres, Clodoaldo e Zé Carlos. Agachados: Ferreira, Brecha, Eusébio, Pelé e Edu.

Hermes foi bicampeão estadual nas edições de 1971 e 1972. Foi então que o presidente Evangelino da Costa Neves decidiu promover outro negócio com o Santos: Joel Mendes, Orlando, Negreiros e Oberdan chegaram ao Coritiba e Hermes foi novamente parar na Vila Belmiro.

Na Vila, Hermes realizou o sonho de menino e finalmente jogou ao lado de Pelé. Campeão paulista de 1973 (título dividido com a Portuguesa), permaneceu no Santos até o mês de agosto de 1974.

Por 400.000 cruzeiros, o Coritiba novamente apostou no futebol de Hermes. Mais experiente foi utilizado como quarto zagueiro em várias oportunidades.

Campeão paranaense nas edições de 1974, 1975 e 1976, Hermes também conquistou a Taça de Curitiba.

Crédito: revista Placar – 17 de setembro de 1976.

Crédito: revista Placar – 17 de setembro de 1976.

Crédito: revista Placar – 17 de setembro de 1976.

Crédito: revista Placar – 17 de setembro de 1976.

A Taça de Curitiba, oficialmente Taça Clemente Comandulli, foi realizada entre os anos de 1974 e 1978, com a participação dos clubes da cidade; Coritiba, Atlético, Pinheiros e Colorado.

Abaixo, os dados da partida que garantiu ao “Coxa” o título da Taça de Curitiba de 1976:

18 de janeiro de 1976 – Coritiba 0x0 Pinheiros – Estádio Belfort Duarte (atual Couto Pereira) – Árbitro: Alceu Conerado.

Coritiba: Nascimento, Marquinho, Hermes, Duílio, Humberto, Paulinho, Osmarzinho, Wilton, Nenê (Plein), Roberto (Sídnei) e Aladim. Pinheiros: Célio, Sergio Elói, Edvaldo, Eduardo, Mario, Osni, Agostinho, Edu (Chiquinho), Quincas (Sergio Gomes), Zé Roberto e Nanau.

Crédito: revista Placar - 17 de setembro de 1976.

Crédito: revista Placar – 17 de setembro de 1976.

Crédito: revista Placar – 1 de abril de 1977.

Crédito: revista Placar – 1 de abril de 1977.

Depois da perda do título de 1977 para o Grêmio Maringá, o ambiente ficou pesado, o que causou reformulações na temporada seguinte.

Em 1978 Hermes foi negociado com o Sport Club Internacional, que em troca cedeu o zagueiro Gardel.

No inter, Hermes foi campeão estadual de 1978 e campeão brasileiro invicto de 1979. Continuou no “Colorado” até 1981, quando acertou seu retorno para o Paraná para defender o Esporte Clube Pinheiros (Atual Paraná Clube).

E foi no Pinheiros que Hermes percebeu que o fim de sua carreira estava chegando. Durante o campeonato paranaense o técnico Cláudio Duarte foi afastado e Hermes foi convidado para dirigir o time.

Crédito: revista Placar – 1 de abril de 1977.

Crédito: revista Placar – 1 de abril de 1977.

Crédito: revista Placar - 10 de abril de 1981.

Crédito: revista Placar – 10 de abril de 1981.

Com interferência dos cartolas, Hermes não aceitou os palpites diretos em seu trabalho como treinador e deixou o comando do Pinheiros.

Para manter a forma, Hermes continuou treinando no Centro de Treinamento Modelo da Praça Osvaldo Cruz.

Em 1983 lá estava Hermes no Coritiba novamente, para os últimos capítulos de sua carreira ao lado de outro veterano: O quase interminável Aladim Luciano, que só deixou os gramados em 1985 para seguir com uma padaria.

Conforme publicado pelo site do Milton Neves, Hermes mora em New Jersey (EUA) onde é dono, desde 1992, da Hermes Painting Co, uma empresa de pinturas e remodelação de paredes.

Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Hermes também passou pelo Esporte Clube Pinheiros (atual Paraná Clube) Crédito: revista Placar.

Hermes também passou pelo Esporte Clube Pinheiros (atual Paraná Clube) Crédito: revista Placar.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Roberto José da Silva e Mílton Ivan), revista Grandes Clubes Brasileiros, campeoesdofutebol.com.br, albumefigurinhas.no.comunidades.net, tribunapr.com.br, coritiba.com.br, globoesporte.globo.com, cacellain.com.br, site do Milton Neves.

Anúncios