Tags

, , ,

Em nossa edição de hoje, “Tardes de Pacaembu” apresenta um pouco da carreira de Aquiles dos Reis, importante dianteiro do Palmeiras no período da conquista das “Cinco Coroas”.

Aquiles dos Reis nasceu na cidade de Miranda, atual Mato Grosso do Sul, em 28 de agosto de 1928. Família humilde e numerosa, a infância ficou marcada por privações, inclusive nos estudos.

Na matéria publicada no Jornal Mundo Esportivo número 266, de 31 de julho de 1951, Aquiles contou um pouco de sua caminhada antes de chegar no time do Parque Antártica!

O atacante começou sua trajetória em uma agremiação chamada Juventus, na mesma cidade de Miranda (MS). Sempre jogando como comandante de ataque, Aquiles também rendia muito bem na posição de armador.

Em seguida jogou pelo Aquidauana e depois pelo Noroeste de Campo Grande. Em 1946 participou com brilho do campeonato brasileiro de seleções estaduais.

Álbum de figurinhas Picando o Couro. Cromo carimbado de Aquiles na página do Palmeiras. Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Aquiles vence o goleiro Castilho em cobrança de penalidade. Pelo Torneio Rio-São Paulo, o Palmeiras venceu o Fluminense por 3×1 no Pacaembu. Crédito: revista Esporte Ilustrado número 618 – 9 de fevereiro de 1950.

Depois foi transferido para o Esporte Clube Corinthians de Presidente Prudente (SP) em 1948. No campeonato da Segunda Divisão de 1949, Aquiles marcou 26 gols e foi o vice-artilheiro da competição.

Seu destacado faro de gol logo despertou o pronto interesse dos representantes da Sociedade Esportiva Palmeiras, que fecharam o negócio em outubro de 1949.

Conforme publicado no site “palmeiras.com.br”, sua primeira participação, bem como seu primeiro tento pelo alviverde aconteceram em 24 de dezembro, no empate em 2×2 diante da Portuguesa de Desportos.

Entre tantos feitos importantes, Aquiles marcou o gol esmeraldino no “Choque Rei” que decidiu o certame paulista de 1950!

Naquele 28 de janeiro de 1951, a cidade de São Paulo foi castigada por chuvas intermitentes, que transformaram o gramado do Pacaembu em um verdadeiro lamaçal.

Entre tantos feitos importantes, Aquiles foi o autor do gol esmeraldino no “Choque Rei” que decidiu o certame paulista de 1950! Crédito: revista A Gazeta Esportiva Ilustrada.

O quadro do Palmeiras que conquistou o Torneio Rio-São Paulo de 1951. Em pé: Salvador, Oswaldo, Dema, Oberdan Cattani, Luiz Villa e Waldemar Fiume. Agachados: Lima, Aquiles, Liminha, Jair Rosa Pinto e Rodrigues. Crédito: revista Vida Esportiva Paulista – Maio de 1951.

O São Paulo abriu o marcador com Teixeirinha, um gol que consolidou o placar na primeira etapa. No vestiário, os jogadores do Palmeiras estavam abatidos, o que provocou berros de indignação por parte de Jair Rosa Pinto.

Aos 15 minutos do segundo tempo, Jair Rosa Pinto fez um de seus primorosos lançamentos. A bola parou em uma poça d’água e sobrou para Aquiles empatar o jogo e garantir o título!

Abaixo, os registros do famoso “Jogo da Lama”, um disputado confronto no Pacaembu que decidiu o campeonato paulista de 1950 em favor do Palmeiras:

28 de janeiro de 1951 – Campeonato paulista de 1950 – Palmeiras 1×1 São Paulo – Estádio do Pacaembu – Árbitro: Alwin Bradley – Gols: Teixeirinha aos 4’ do primeiro tempo; Aquiles aos 15’ do segundo tempo.

Palmeiras: Oberdan Cattani; Turcão, Palante, Fiume e Luiz Villa; Sarno, Lima e Canhotinho; Aquiles, Jair Rosa Pinto e Rodrigues – Técnico: Ventura Cambon. São Paulo: Mário; Savério, Mauro, Bauer e Rui; Noronha e Dido; Remo, Friaça, Leopoldo e Teixeirinha – Técnico: Vicente Feola.

Sempre bem colocado no campo de ataque, Aquiles sabia muito bem como tirar proveito dos passes perfeitos de Jair Rosa Pinto! Crédito: Jornal Mundo Esportivo número 249 – Sexta Feira, 1 de junho de 1951.

Com bom público no Pacaembu, Aquiles marca em cobrança de penalidade e abre o caminho para a vitória do alviverde pelo placar de 3×0 sobre o Nice da França. Foi o primeiro jogo da Copa Rio de 1951. Crédito: revista Esporte Ilustrado número 691 – 5 de julho de 1951.

O atacante também é lembrado por sua importante participação no período de ouro da conquista das “Cinco Coroas”:

1ª Coroa: Taça Cidade de São Paulo de 1950; 2ª Coroa: Campeonato Paulista de 1950; 3ª Coroa: Torneio Rio-São Paulo de 1951; 4ª Coroa: Taça Cidade de São Paulo de 1951; 5ª Coroa: Copa Rio de 1951.

Além das conquistas no período das “Cinco Coroas”, Aquiles conquistou torneios internacionais: Taça Peñarol em 1951 e o Troféu Cidade do México em 1952.

Aquiles também foi o artilheiro do Torneio Rio-São Paulo de 1951, ao lado do companheiro Liminha e de Ademir Marques de Menezes Vasco da Gama, com 9 gols marcados.

Em suas entrevistas, Aquiles sempre lembrou com carinho da Copa Rio de 1951. Foi de Aquiles o primeiro gol do Palmeiras na competição, marcado contra o Nice da França, no Pacaembu.

Vestiário do Palmeiras antes da vitória sobre o Estrela Vermelha da Iugoslávia por 2×1 no Pacaembu. Partindo da esquerda; Rodrigues, Luiz Villa, Aquiles e Ponce de Leon. Crédito: revista Esporte Ilustrado número 692 – 12 de julho de 1951.

Internado no Rio de Janeiro, Aquiles recebe a visita dos dirigentes do Palmeiras. Crédito: revista Campeoníssimo número 6 – Agosto de 1951.

Aquiles encerrou a carreira de forma triste ao fraturar a perna no primeiro jogo da semifinal da Copa Rio de 1951, contra o Vasco da Gama no Maracanã.

O atacante só voltou aos gramados muito tempo depois, quando outras graves lesões colocaram um ponto final em sua continuidade nos gramados.

Pelo Palmeiras foram 70 participações; com 39 vitórias, 16 empates, 15 derrotas e 37 gols marcados. Os números foram publicados pelo reconhecido Almanaque do Palmeiras, dos autores Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti.

De acordo com o site “palmeiras.com.br”, a sua última partida com a camisa do alviverde aconteceu em 4 de abril de 1954, na vitória de 2×1 sobre o Uberlândia (MG).

Aquiles dos Reis faleceu em 9 de janeiro de 2014, na cidade de Campo Grande (MS). O ex-atacante do Palmeiras foi diagnosticado com uma grave obstrução cardíaca.

Aquiles conquistou muitos títulos e grande respeito da coletividade alviverde! Foto de George Donenberg. Crédito: revista A Gazeta Esportiva Ilustrada número 42 – Junho de 1955.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por José Maria de Aquino), revista A Gazeta Esportiva Ilustrada (por George Donenberg e Hélio Ghilardi Curti), revista Campeoníssimo, revista Esporte Ilustrado (por Alberto Ferreira, Benjamin Wright, Leunam Leite, Levy Kleiman, Luís Mendes e Thomas Mazzoni), revista Vida Esportiva Paulista, Jornal A Gazeta Esportiva, Jornal dos Sports, Jornal Mundo Esportivo, Jornal O Globo, campeoesdofutebol.com.br, palmeiras.com.br, site do Milton Neves (por Gustavo Grohmann), Almanaque do Palmeiras – Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti, albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Publicidade