Tags

, , ,

É muito fácil confundir os irmãos Álvaro e Ramiro, que juntos trilharam em suas carreiras defendendo o Jabaquara, o Santos e o Atlético de Madrid.

A semelhança física era tão marcante que, não fosse o registro de nascimento, poderíamos afirmar que eram gêmeos.

Conforme publicado pelo site acervosantosfc.com, Álvaro José Rodrigues Valente, nasceu no dia 24 de setembro de 1931, em Santos (SP).

Seu irmão, Ramiro Rodrigues Valente, mais jovem, nasceu em 19 de fevereiro de 1933, na cidade de São Paulo (SP).

Álvaro, quando ainda defendia o Jabaquara e Maurinho do São Paulo. Crédito: Jornal Mundo Esportivo.

Álvaro apareceu para o futebol na segunda metade da década de quarenta, defendendo o quadro amador do Guarujá Atlético Clube. Posteriormente, foi encaminhado ao Jabaquara Atlético Clube, onde jogou ao lado do irmão Ramiro.

No final da temporada de 1952 Álvaro foi contratado pelo Santos, enquanto que Ramiro foi tentar a sorte nos gramados cariocas vestindo a camisa dos Aspirantes do Fluminense Football Club.

Sem muitas chances de se fixar entre os titulares no time das Laranjeiras, Ramiro só reencontrou o irmão Álvaro quando assinou com o Santos em 1955.

De acordo com o artigo do Jornal Mundo Esportivo, em novembro de 1954, além do futebol, Álvaro tinha grande paixão pelo teatro e pelo cinema. Na mesa, não abria mão de sua preferência por esfihas e kibes.

Crédito: reprodução revista A Gazeta Esportiva Ilustrada.

Centroavante e também meia-direita, Álvaro compensava sua pouca velocidade com muita habilidade, boa estatura e bastante facilidade para finalizar ao gol.

Tímido por natureza, sua rotina doméstica era marcada pelo hábito de tomar banho frio e sempre que possível dormir até mais tarde. Fora das quatro linhas, Álvaro não gostava de falar sobre futebol.

Conforme publicado no livro “Seleção Brasileira 90 anos”, dos autores Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf, Álvaro defendeu o escrete canarinho em 11 oportunidades no período entre 1955 e 1956.

Sua primeira participação com a camisa amarelinha aconteceu contra o Chile, na vitória por 2×1 em 20 de setembro de 1955. Ao todo foram 7 vitórias, 2 empates, 2 derrotas e 3 gols marcados.

Crédito: Jornal Mundo Esportivo – Terça Feira, 23 de novembro de 1954.

Pelo Santos, Álvaro conquistou os títulos paulistas de 1955, 1956 e 1958, o Troféu Teresa Herrera e o Torneio Rio-São Paulo, ambos em 1959.

Abaixo, os registros da grande conquista santista no Troféu Teresa Herrera, na edição de 1959:

21 de junho de 1959 – Troféu Teresa Herrera – Santos 4×1 Botafogo – Estádio Municipal de Riazor, La Coruña (Espanha) – Público: 40.000 pagantes – Árbitro: Blanco Perez (Espanha) – Gols: Pepe aos 39’ do primeiro tempo; Pelé aos 16’, Coutinho aos 22’, Zagallo aos 24’ e Pepe aos 34’ do segundo tempo.

Santos: Lalá; Pavão (Formiga) e Mourão; Getúlio, Ramiro e Zito; Dorval (Alfredinho), Jair Rosa Pinto (Álvaro), Afonsinho (Coutinho), Pelé e Pepe. Botafogo: Ernani; Tomé e Aírton (Pampolini); Chicão, Borges e Nilton Santos; Garrincha, Didi, Paulo Valentim, Waldir e Zagallo. 

Craques do Santos. Partindo da esquerda; Álvaro, Vasconcelos, Formiga, Tite e Hélvio Piteira. Crédito: Memória-Futebol/facebook/photos.

Em destaque, Ramiro (em pé) e Álvaro (agachado), no time do Santos que faturou o Troféu Teresa Herrera após golear o Botafogo de Garrincha por 4×1, partida realizada em 21 de junho de 1959, no Estádio Municipal de Riazor, na Espanha. Crédito: acervosantosfc.com.

Ainda no ano de 1959, o Santos realizou uma longa excursão pela Europa e goleou o Barcelona por 5×1.

A partida, realizada no estádio Camp Nou, marcou com destaque o início do período das grandes excursões do Santos pelo velho continente. Depois, Pelé e seus companheiros continuaram encantando o restante do mundo.

28 de junho de 1959 – Amistoso internacional – Barcelona 1×5 Santos – Estádio Camp Nou, Barcelona (Espanha) – Público aproximado: 40.000 pessoas – Árbitro: Ramon Azon (Espanha) – Gols: Dorval aos 4’, Coutinho aos 10’ e Evaristo de Macedo aos 15’ do primeiro tempo; Pelé aos 11’ e aos 26’ e Dorval aos 19’ do segundo tempo.

Santos: Lalá; Pavão (Formiga), Getúlio e Mourão; Ramiro e Zito; Dorval (Alfredinho), Jair Rosa Pinto (Álvaro), Coutinho, Pelé (Afonsinho) e Pepe. Barcelona: Larraz, Rife, Bartoli, Pinto (Martinez), Verges, Recaman, Villaverde (Hermes), Kocsis, Evaristo, Ribelles, Czibor.

Os santistas Álvaro, Vasconcelos e Tite no selecionado paulista.

Ataque da Seleção Brasileira na Europa em 1956. Partindo da esquerda; Paulinho, Didi, Álvaro, Evaristo e Canhoteiro. Crédito: site do Milton Neves.

E foi depois dessa excursão, realizada nos meses de maio, junho e julho, que os irmãos Ramiro e Álvaro deixaram o Santos para jogarem juntos pelo Club Atlético de Madrid.

Em 1961 Álvaro retornou ao Santos e disputou o Torneio Rio-São Paulo. Ao todo, foram 106 gols marcados pelo time de Vila Belmiro, o que representa a 19º colocação entre os maiores artilheiros da história do clube.

Longe dos gramados, sua última atividade foi como zelador de um edifício no Guarujá, no litoral paulista.

Os irmãos Valente foram separados definitivamente no dia 21 de setembro de 1991, quando Álvaro faleceu no Guarujá (SP), em decorrência de complicações da diabetes.

Figurinhas de Álvaro no Atlético de Madrid. Crédito: colchonero.com.

Em 1960, Ramiro e Álvaro Valente no Atlético de Madrid. Foto: ASSOPHIS (Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos F.C). Publicado no site do Milton Neves.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar, revista A Gazeta Esportiva Ilustrada, revista do Esporte, Jornal Mundo Esportivo, Jornal do Brasil, campeoesdofutebol.com.br, acervosantosfc.com (por Gabriel Santana), colchonero.com, site do Milton Neves, Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos F.C, Memória-Futebol/facebook/photos, Livro: Seleção Brasileira 90 anos – Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf, albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Anúncios