Tags

, ,

Alfredo de Souza, o Fefeu, nasceu no dia 18 de maio de 1940, em Niterói (RJ). A carreira foi iniciada nas equipes amadoras do Canto do Rio Foot-Ball Club.

Meio campista habilidoso, Fefeu ganhou destaque no time principal do Canto do Rio por sua mobilidade e seu reconhecido aproveitamento nas bolas paradas.

O interesse do técnico Rubro Negro Flávio Costa nasceu depois da grande atuação de Fefeu na derrota do Canto do Rio para o mesmo Flamengo por 3×2, partida válida pelo returno do campeonato carioca de 1963.

29 de setembro de 1963 – Campeonato carioca – Flamengo 3×2 Canto do Rio – Estádio de São Januário – Árbitro: Amilcar Ferreira – Gols: Geraldo II aos 18’, Fefeu aos 30’, Nelson (pênalti) aos 38’, Fefeu (pênalti) aos 41’, Nelson (pênalti) aos 87’.

Flamengo: Marcial, Murilo, Luiz Carlos, Ananias e Paulo; Nelson e Nelsinho; Espanhol, Geraldo II, Dida e Osvaldo. Canto do Rio: Jurandir, Miraldo, Mateus, Décio Crespo e Azul; Nogueira e Fefeu; Uriel, Machado, Hipólito e Ari.

Crédito: revista do Esporte número 357.

O acerto com o jogador do Canto do Rio aconteceu na quarta feira de 16 de outubro de 1963. O jornal carioca, Correio da Manhã, estampou em seu segundo caderno os detalhes da negociação.

O Flamengo concordou em pagar 5 milhões de cruzeiros pela garantia de contar com Fefeu na  temporada de 1964. Dono do próprio passe, Fefeu ainda jogaria pelo Canto do Rio até o findar do campeonato carioca de 1963.

Admirado pelo jovem Arthur Antunes Coimbra, o Zico, Fefeu foi aproveitado na meia cancha do Flamengo pelos dois lados do gramado, sempre com participações importantes na organização das manobras de ataque.

Com a orientação de Armando Renganeschi, Fefeu foi campeão carioca do “Quarto Centenário” em 1965.

Especialista na bola parada, Fefeu fez sucesso no Flamengo. Crédito: Flamengoalternativo.wordpress.com. (Foto: GazetaPress).

Uma das formações do Flamengo em 1965. Em pé: Murilo, Valdomiro, Jaime Valente, Ditão, Carlinhos e Paulo Henrique. Agachados: Neves, João Daniel, Silva Batuta, Fefeu e Rodrigues. Crédito: revista Placar.

Com a camisa do Flamengo, Fefeu esteve em campo em 61 compromissos e marcou 22 gols. Os números foram publicados pelo Almanaque do Flamengo, dos autores Clóvis Martins e Roberto Assaf.

A transferência de Fefeu para o São Paulo Futebol Clube foi divulgada em reportagem publicada pelo jornal carioca Correio da Manhã, no dia 2 de fevereiro de 1966.

Fefeu assinou com o São Paulo no dia 1 de fevereiro, depois dos entendimentos finais entre o presidentes do São Paulo e do Flamengo, Laudo Natel e Fadel Fadel.

Laudo Natel confirmou o pagamento de 120 milhões cruzeiros ao clube carioca, mais os 15% devidos ao jogador. Inicialmente, o Flamengo fixou os direitos de Fefeu em 150 milhões, mas acabou concordando com os valores oferecidos pelo time do Morumbi.

Crédito: gazeta esportiva.net. (acervo Gazeta Press).

Uma das várias formações da Seleção Brasileira em 1966. Em pé: Djalma Santos, Bellini, Manga, Edson Cegonha, Fontana e Dudu. Agachados: Nado, Fefeu, Alcindo, Tostão e Edu. Crédito: colunistas.ig.com.br – Michel Laurence.

Pelo São Paulo, Fefeu disputou os campeonatos paulistas de 1966 e 1967, ano em que o tricolor quase chegou ao título.

Ao todo, foram 59 partidas e 8 gols marcados. Os números foram publicados pelo Almanaque do São Paulo, do autor Alexandre da Costa.

Pela Seleção Brasileira, Fefeu foi um dos 47 jogadores convocados pelo técnico Vicente Feola, no período de preparação para o mundial da Inglaterra em 1966.

No segundo semestre de 1968, Fefeu solicitou aos diretores do São Paulo para ser emprestado ao Bangu Atlético Clube. O jogador queria voltar ao Rio de Janeiro e disputar o Torneio Roberto Gomes Pedrosa.

Na ocasião, o São Paulo fez apenas uma condição ao clube carioca: Um seguro em nome do atleta para prevenir qualquer infelicidade.

Babá, Prado e Fefeu. Crédito: revista do Esporte número 400.

Linha de ataque do São Paulo no Pacaembu: Partindo da esquerda; Paraná, Prado, Benê, Fefeu e Valdir. Crédito: site do Milton Neves.

Mas a volta de Fefeu ao Rio ficou marcada por uma terrível contusão que o afastou dos gramados definitivamente. O acidente aconteceu na derrota para o Botafogo por 2×0, em 28 de novembro de 1968, em General Severiano.

Diante da gravidade da lesão, representantes do São Paulo foram ao hospital onde Fefeu estava internado, no Rio de Janeiro.

Em entrevista publicada na revista Placar de 1 de maio de 1970, o presidente Laudo Natel afirmou que naquela oportunidade o clube fez tudo o que era possível para amparar o jogador.

A matéria jornalística com o presidente Laudo Natel foi uma resposta para João Saldanha, que declarou na mesma revista que o jogador foi completamente abandonado pelo São Paulo.

Em pé: Osvaldo Cunha, Tenente, Bellini, Carlos Alberto Rodrigues, Fábio e Nenê. Agachados: Paraná, Prado, Babá, Fefeu e Adiber. Crédito: site do Milton Neves.

Um São Paulo diferente com uma camisa criada pelo jornalista Paulo Planet Buarque, na época conselheiro do tricolor. Partindo da esquerda: Paraná, Prado, Babá, Fefeu e Adiber. Crédito: revista do Esporte número 410 – 13 de janeiro de 1967.

Laudo Natel afirmou ainda que o médico do clube foi enviado ao Rio de Janeiro para um acompanhamento clínico mais detalhado.

Paralelamente, o São Paulo decidiu bancar uma espécie de “ajuda de custo”, enquanto Fefeu permaneceu internado.

Quando deixou o hospital Fefeu foi ao Morumbi e recebeu o cheque da seguradora, fixado em 22.500 cruzeiros novos, um montante considerado baixo em relação ao valor do jogador no mercado.

Conforme publicado pelo site bangu.net, Fefeu jogou apenas 3 partidas pelo time de “Moça Bonita”, com 1 vitória, 1 empate e 1 derrota. Um final de carreira triste e marcado pela fatalidade.

Alfredo de Souza, o Fefeu, faleceu no dia 6 de março de 2010, vítima do Mal de Alzheimer que tanto o castigou nos últimos anos de vida.

Crédito: revista Placar – 1 de maio de 1970.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar, revista do Esporte, Jornal A Gazeta Esportiva, Jornal Correio da Manhã, gazeta esportiva.net (acervo Gazeta Press), campeoesdofutebol.com.br, globoesporte.globo.com, colunistas.ig.com.br (por Michel Laurence), site do Milton Neves (por Rogério Micheletti), cantodoriofc.com.br, bangu.net, flamengoalternativo.wordpress.com, Almanaque do Flamengo – Clóvis Martins e Roberto Assaf, Almanaque do São Paulo – Alexandre da Costa.

Anúncios