Tags

, , ,

Antônio José dos Santos, também conhecido no mundo da bola como Toninho Vanusa, nasceu na cidade de São Paulo (SP), em 26 de junho de 1956.

O primeiro palco foi o Estádio Nicolau Alayon, quando iniciou sua trajetória nas categorias amadoras do Nacional Atlético Clube (SP).

Em seguida foi encaminhado para a Sociedade Esportiva Palmeiras, onde se destacou no quadro juvenil, antes de ser aproveitado no elenco principal do alviverde.

O apelido “Vanusa” (uma referência a cantora Vanusa Santos Flores) foi colocado pelos companheiros em razão da cabeleira loura.

Campeão do Torneio de Cannes em 1974 pela Seleção Brasileira, Toninho Vanusa era um talentoso meia-armador que também brilhou pela ponta-esquerda.

Crédito: revista Placar 15 de março de 1974.

Crédito: revista Placar 15 de março de 1974.

Em razão de sua grande habilidade e mobilidade, o técnico Brandão contou com seu futebol em alguns compromissos do campeonato brasileiro e na campanha do título paulista de 1974.

Abaixo, uma das participações de Toninho Vanusa durante o campeonato brasileiro de 1974:

4 de maio de 1974 – Campeonato brasileiro – CSA 0x2 Palmeiras – Estádio Rei Pelé – Árbitro: Arnaldo Cézar Coelho – Gols: Toninho Vanusa aos 20’ e Nei aos 42’ do primeiro tempo.

CSA: Zé Galego, Gato Preto, Isauro, Zé Preta e Jaiminho; Zé Leite e Soareste; Manoelzinho, Giraldo, (Ricardo), Dudu (Jorge Nunes) e Ademir. Técnico: Laerte Dória. Palmeiras: Sérgio, Eurico, João Carlos, Arouca e Zeca; Jair Gonçalves e Dudu; Edu (Fedato), Toninho Vanusa, Careca e Nei. Técnico: Oswaldo Brandão.

Foto de Lemyr Martins. Crédito: revista Placar – 15 de novembro de 1974.

De Rosis e Toninho Vanusa. Foto de Lemyr Martins. Crédito: revista Placar – 15 de novembro de 1974.

Com o sucesso no Palmeiras, De Rosis e Toninho Vanusa foram os personagens de uma reportagem especial na revista Placar em 15 de novembro de 1974.

Toninho Vanusa e o companheiro De Rosis normalmente dividiam o apartamento número 703 do Lord Hotel, habitual concentração do Palmeiras em jogos na capital paulista.

Toninho Vanusa sempre pensou em comprar seu tão sonhado carrinho, como fez o amigo De Rosis, que financiou quase 29.000 cruzeiros para ter um automóvel Puma em sua garagem.

Mas o técnico Oswaldo Brandão sempre foi contra o desperdício de dinheiro. Brandão costumava orientar os mais jovens em investimentos mais seguros, como Caderneta de Poupança ou até o financiamento de um imóvel. Carro, nem pensar!

Ainda na condição de “amador”, Toninho Vanusa recebia 2.000 cruzeiros de salário. Bem diferente da situação de De Rosis, que surgiu na Portuguesa Santista e como profissional no Palmeiras recebia 6.000 cruzeiros mensais.

Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Toninho Vanusa divide com o ponteiro Piau. No clássico disputado no Pacaembu em 10 de novembro de 1974, o Palmeiras venceu por 2×1. Crédito: revista O Mundo do Futebol número 2 – Palmeiras 1974 – Editora On Line.

O presidente Paschoal Giuliano explicou os motivos dessa diferença entre os dois. Toninho Vanusa era sempre lembrado na Seleção Brasileira amadora e um registro profissional, naquele momento, só atrapalharia o jogador.

Campeão paulista em 1974, Toninho Vanusa também participou do elenco que faturou o Troféu Ramon de Carranza nas edições de 1974 e 1975.

Em 1976 foi emprestado ao Clube Náutico Capibaribe, só retornando ao Palmeiras em 1978, quando foi vice-campeão brasileiro.

Pelo Palmeiras, Toninho Vanusa disputou ao todo 70 partidas, com 30 vitórias, 28 empates, 12 derrotas e 7 gols marcados. Os números foram publicados pelo Almanaque do Palmeiras, dos autores Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti.

Crédito: revista Placar.

Foto de Arlindo Marinho. Crédito: revista Placar – 13 de fevereiro de 1976.

Em 1979 seu passe foi negociado com o Club de Regatas Vasco da Gama, onde não permaneceu por muito tempo. De volta ao cenário paulista defendeu o Clube Atlético Juventus até 1981.

Toninho Vanusa jogou também pelo CSA (AL), Goiás (GO), Paysandu (PA), Maringá (PR), Criciúma (SC), Figueirense (SC), Saltense (SP) e Uberaba (MG), equipe onde encerrou sua carreira em 1987. Algumas fontes apontam ainda uma passagem pelo Taubaté (SP).

Conforme publicado pelo site do Milton Neves, Toninho Vanusa trabalhou nos últimos anos como comerciante de roupas em sua loja, a “EM Santos Confecções”.

Toninho Vanusa faleceu na capital paulista, em 24 de junho de 2009.

Crédito: revista Placar.

Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Arlindo Marinho, Carlos Maranhão, Lemyr Martins e Lenivaldo Aragão), revista O Mundo do Futebol, gazeta esportiva.net, campeoesdofutebol.com.br, globoesporte.globo.com, futebolinterior.com.br, site do Milton Neves (por Rogério Micheletti), nauticonet.com.br, palmeiras.com.br, Almanaque do Palmeiras – Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti, albumefigurinhas.no.comunidades.net.