Tags

, , ,

Gilberto Tim foi um colecionador de títulos. Preparador físico reconhecido pela competência e seriedade, sua carreira é lembrada pela coragem e por sua grande capacidade de improvisação.

Um guerreiro permanente na batalha contra os vícios e caprichos da civilização, algo que foi definido por ele como o grande vilão da vida moderna!

Dedicado e estudioso, Gilberto Tim tinha como principal filosofia o fortalecimento da resistência muscular, o que elevou seu nome no conceito de treinadores adeptos do “futebol-força”.

Não obstante, seus métodos também eram alvo de críticas de alguns jogadores, que entendiam que os excessos na preparação física eram mais prejudiciais do que propriamente benéficos.

Inovador, Gilberto Tim não ficava limitado aos gramados para fazer de seu trabalho uma constante surpresa diária. Costumava surpreender levando os jogadores para corredores, escadarias e até pontes.

Foto de JB Scalco. Crédito: revista Placar – 13 de maio de 1977.

Foto de José Eugênio. Crédito: revista Placar – 10 de fevereiro de 1978.

Gilberto Pazzeto, ou ainda Gilberto Pazzetto, como encontrado em algumas publicações, nasceu no dia 1 de setembro de 1942 em Porto Alegre (RS). (*) Outras fontes divulgam seu nascimento na cidade de Bento Gonçalves (RS).

Mais conhecido nos meios esportivos como “Gilberto Tim”, o jovem vigoroso atuou como lateral-direito, lateral-esquerdo e até como zagueiro.

Além do Sport Club Internacional (RS) e do Esporte Clube Metropol (SC), Gilberto Tim jogou em várias equipes do cenário gaúcho e paranaense; além de uma breve passagem pelo Sport Club Corinthians Paulista (SP).

Embora os registros de sua trajetória como jogador sejam relativamente conflitantes, Gilberto Tim era lembrado como um atleta exemplar no tocante aos cuidados com seu preparo físico.

Conforme publicado pela revista Placar em 17 de fevereiro de 1986, Gilberto Tim encerrou sua passagem pelos gramados em 1969, no Colorado Esporte Clube (PR).

Fotos de Ricardo Beliel. Crédito: revista Placar.

Gilberto Tim ao lado do zagueiro Oscar. Foto de JB Scalco. Crédito: revista Placar – 12 de novembro de 1982.

Diplomado na Escola Superior de Educação Física de Curitiba em 1969, Gilberto Tim fez cursos de especialização em basquete e futebol na cidade de Porto Alegre.

O reconhecimento inicial foi alcançado nas fileiras do Internacional. Ainda inexperiente, Gilberto Tim conquistou seus primeiros resultados mais na base da transpiração, algo bem longe das metodologias acadêmicas da época!

Trabalhou com vários treinadores e seu desempenho foi determinante nas conquistas do Internacional no período entre 1974 e 1976.

Em 1977 já contava com um grande prestígio quando recebeu uma proposta milionária do Grêmio. Imediatamente, os dirigentes do “Colorado” trataram de segurar o preparador físico nos domínios do Beira Rio.

De acordo com o artigo publicado pela revista Placar em 13 de maio de 1977, Gilberto Tim assinou um contrato sem precedentes, com valores não divulgados e mantidos em absoluto segredo.

Foto de Sérgio Berezovsky. Crédito: revista Placar – 17 de fevereiro de 1986.

Gilberto Tim e Rubens Minelli levaram inovação ao Corinthians. Foto de Sérgio Berezovsky. Crédito: revista Placar – 17 de fevereiro de 1986.

Em 1978 firmou compromisso com o Coritiba Foot Ball Club (PR) e só voltou ao mesmo Internacional em 1979.

Contratado pelo São Paulo Futebol Clube por uma verdadeira fortuna de 15 milhões de cruzeiros de “luvas”, Gilberto Tim chegou ao Morumbi com o status de melhor preparador físico do Brasil.

Nesse período de sua caminhada, Gilberto Tim iniciou uma mudança de conceitos. Levava em conta o limite de cada atleta e compartilhava os resultados ao lado dos profissionais de nutrição.

Trabalhou também no Grêmio (RS), Corinthians, Santos (SP), Palmeiras (SP) e Belenenses de Portugal, antes de aceitar o cargo como treinador no Coritiba, em abril de 1988:

– “Já estou com uma idade em que não é fácil acompanhar ou mesmo exigir de um garoto de 20 anos”. 

Telê Santana e Gilberto Tim. Foto de JB Scalco. Crédito: revista Placar – 17 de fevereiro de 1986.

Os alongamentos musculares de Gilberto Tim. Foto de Sérgio Sade. Crédito: revista Placar – 22 de setembro de 1986.

Depois da aventura como técnico do Coritiba, Gilberto Tim resolveu voltar ao cargo anterior, novamente pelo Grêmio e depois no mesmo Coritiba.

Pela Seleção Brasileira realizou um grande trabalho ao lado de Telê Santana nas copas do Mundo de 1982 e 1986.

No mundial da Espanha em 1982, Gilberto Tim foi alvo de críticas do então comentarista João Saldanha. Para Saldanha, nosso time tinha talento de sobra e não precisava ser arrebentado nos treinos físicos.

Atualmente, os conceitos de preparação física obedecem aos critérios individualizados de trabalho, um ritmo perfeitamente ajustado com o biótipo de cada jogador!

Em decorrência de uma longa batalha contra o Mal de Alzheimer, Gilberto Pazzeto faleceu no dia 13 de junho de 1999, na cidade de Porto Alegre.

Gilberto Tim no Coritiba. Foto de Sérgio Sade. Crédito: revista Placar – 8 de abril de 1988.

No Coritiba, o início da carreira de treinador. Foto de Sérgio Sade. Crédito: revista Placar – 8 de abril de 1988.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Alberto Helena Júnior, Ari Borges, Divino Fonseca, JB Scalco, José Eugênio, Marcelo Duarte, Mílton Ivan, Ricardo Beliel, Roberto José da Silva, Sérgio Berezovsky e Sérgio Sade), revista Grandes Clubes Brasileiros, revista Manchete Esportiva, Jornal O Globo, Jornal Zero Hora, acervo.estadao.com.br, agenciaoglobo.com.br, campeoesdofutebol.com.br, corinthians.com.br, coritiba.com.br, gazeta esportiva.net, internacional.com.br, palmeiras.com.br, saopaulofc.net, site do Milton Neves.

Anúncios