Tags

, , ,

Repentinamente, o técnico Barbatana ficou diante da incomoda tarefa de escolher entre Alves e Getúlio.

Getúlio, o titular da lateral-direita do Atlético Mineiro, não demorou muito tempo para ser lembrado na Seleção Brasileira pelo técnico Brandão.

Por outro lado, o novato Alves ainda era apenas uma boa promessa revelada nas categorias amadoras do clube.

Observado mais atentamente no juvenil do Atlético Mineiro em 1975, Alves foi comunicado pelo técnico Telê Santana sobre o seu aproveitamento no elenco principal.

Mais tarde, com a saída de Telê Santana, Alves ficou um tanto esquecido nos planos do técnico Mussula, até a chegada de Barbatana em 1976.

Foto de Alberto Carlos. Crédito: revista Placar – 2 de setembro de 1977.

O Atlético Mineiro, quase pronto para ser fotografado no Mineirão. Em pé: Dionísio, Toninho Cerezo, Modesto, Reinaldo, Ortiz, Vantuir e Alves. Agachados: Marinho, Danival, Paulo Isidoro e Marcelo. Foto de Célio Apolinário. Crédito: revista Placar – 14 de outubro de 1977.

Feliciano Alves Diniz Filho, o Alves, ou ainda “Alvez”, conforme encontrado em algumas publicações, nasceu no município de Esmeraldas (MG), em 6 de dezembro de 1956.

Sua trajetória foi iniciada no Campolina Futebol Clube, da mesma cidade de Esmeraldas. Em 1971, Alves foi encaminhado aos times de base do Clube Atlético Mineiro.

Lateral-direito de origem, Alves também era utilizado na meia-cancha em algumas oportunidades, setor do gramado em que ganhou destaque nos tempos do Campolina.

Com o avanço da idade e a sinalização positiva do técnico Barbatana, Alves foi aos poucos ganhando espaço entre os profissionais, ao ponto de estabelecer incertezas na continuidade de Getúlio como titular.

Contudo, Barbatana manteve Getúlio; um lateral mais experiente, bom chutador e sobretudo bom marcador.

Em 26 de fevereiro de 1978, o Atlético Mineiro venceu o Londrina por 4×2 no Mineirão, jogo válido pelas semifinais do campeonato nacional. No lance, Alves (direita) observa o goleiro João Leite cortar o cruzamento. O camisa 7 do quadro paranaense é Xaxá. Foto de Ignácio Ferreira. Crédito: revista Placar – 3 de março de 1978.

Mais um duelo entre Alves e Joãozinho no Mineirão. Foto de Célio Apolinário. Crédito: revista Placar – 1 de junho de 1979.

Alves só foi escalado entre os titulares em razão de uma séria contusão de Getúlio. E apesar da pressão, o rapazola da cidade de Esmeraldas não decepcionou, inclusive participando do grupo que conquistou o campeonato mineiro de 1976.

Conforme publicado pela revista placar em 2 de setembro de 1977, Alves assinou seu primeiro contrato profissional em janeiro de 1977, mesmo ano em que Rubens Minelli indicou Getúlio ao São Paulo Futebol Clube.

Getúlio estava insatisfeito com o fato de ser escalado em algumas partidas na lateral-esquerda, um claro sinal de que o futebol de Alves estava agradando.

E mesmo diante do habilidoso ponteiro-esquerdo Joãozinho do Cruzeiro, Alves nunca deixou espaço para os torcedores sentirem saudades de Getúlio.

Vice-campeão brasileiro de 1977, Alves conquistou ainda o título mineiro nas edições de 1978, 1979 e 1980. Negociado com a Associação Portuguesa de Desportos (SP) no findar de 1980, Alves não foi muito feliz no cenário paulista!

Foto de Auremar de Castro. Crédito: revista Placar – 6 de julho de 1979.

Em partida contra o Colorado (PR), Alves, camisa 4, quase coloca o pescoço em risco. Foto de Auremar de Castro. Crédito: revista Placar – 23 de novembro de 1979.

Emprestado ao Esporte Clube Bahia (BA) em 1981, o lateral-direito ainda voltou ao time do Canindé em 1982. Em seguida voltou ao futebol mineiro em 1983, para defender o Cruzeiro Esporte Clube.

Sem esquentar muito na Toca da Raposa, Alves firmou compromisso com o Sport Club Internacional em 1984, quando conquistou o título gaúcho da temporada.

Alves também jogou pelo Nacional (AM), Maringá (PR), Aimoré (RS) e Francana (SP), até encerrar sua trajetória em 1988, no Clube Náutico Capibaribe (PE).

Conforme publicado no site do Milton Neves, Alves atualmente reside em sua cidade natal. É proprietário da “Alves Esportes Consultoria Esportiva”, uma empresa com atuação em diversos projetos esportivos.

Um desses projetos é uma parceria entre Fiat e Atlético Mineiro, que trabalha na revelação de jogadores para o “Galo”. Sua empresa fornece também orientação técnica para instalação e manutenção de gramados de futebol e campos de golfe.

Alves, Daniel Gonzáles e Duílio, os novos reforços da Lusa para 1981. Fotos de JB Scalco. Crédito: revista Placar – 27 de fevereiro de 1981.

A Portuguesa de Desportos no gramado do Maracanã. Éverton, Cláudio, Daniel Gonzáles, Alves, Zé Mário e Fantick. Agachados: Moisés, Gérson Sodré, Beca, Wilson Carrasco e Pitta. Crédito: revista Placar.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Alberto Carlos, Auremar de Castro, Célio Apolinário, Ignácio Ferreira, JB Scalco, Roque Mendes e Sérgio A. Carvalho), revista Manchete Esportiva, Jornal Estado de Minas, atletico.com.br, campeoesdofutebol.com.br, gazeta esportiva.net, internacional.com.br, site do Milton Neves (por Marcelo Rozenberg e Rogério Micheletti), albumefigurinhas.no.comunidades.net.

Anúncios