Tags

, ,

Alto e esguio, o rapazola Paulinho era conhecido apenas como “Quinho”. Jogava futebol nos campinhos de terra batida e vivia sonhando com o badalado circo da bola.

Os anos passaram e o sonho de menino virou realidade, Então, Paulinho ganhou fama como “Paulinho Ladrão”, o primeiro especialista na arte de surrupiar a bola de seus adversários.

Paulo Ribeiro Omena nasceu na cidade do Rio de Janeiro (RJ), em 23 de agosto de 1932. Criado no bairro de Marechal Hermes, Paulinho foi encaminhado ao Madureira Esporte Clube (RJ) em 1952.

Passou com o merecido destaque pela categoria juvenil e em seguida pelo quadro de Aspirantes, sempre buscando com afinco seu lugar ao sol. Finalmente, em 1953, Paulinho foi promovido ao time principal do Madureira, mesmo período em que também trabalhava como funcionário público federal.

Meia-campista de fôlego admirável, Paulinho também colaborava como zagueiro e até como lateral-esquerdo quando necessário.

Crédito: revista do Esporte número 199 – 29 de dezembro de 1962.

Em clássico contra o Botafogo, Paulinho aparece em disputa com Zé Maria na meia-cancha. Crédito: revista do Esporte número 199 – 29 de dezembro de 1962.

Paulinho permaneceu nas fileiras do Madureira até 1958, quando seus direitos federativos foram negociados com o Fluminense Football Club (RJ).

No time das Laranjeiras, Paulinho foi aos poucos ganhando espaço no esquema do exigente técnico Zezé Moreira, que nunca abriu mão de sua importante colaboração em vários compromissos do certame carioca.

Abaixo, uma das importantes participações de Paulinho na grande campanha do campeonato carioca de 1959:

11 de outubro de 1959 – Campeonato carioca segundo turno – Fluminense 3×1 Vasco da Gama – Estádio do Maracanã – Árbitro: Antônio Viug – Gols: Pinheiro, Valdo e Telê Santana para o Fluminense; Delém para o Vasco da Gama.

Fluminense: Castilho, Jair Marinho, Pinheiro e Altair; Edmilson e Clóvis; Telê Santana, Paulinho, Valdo, Jair Francisco e Maurinho. Técnico: Zezé Moreira. Vasco da Gama: Hélio, Russo, Bellini e Orlando; Écio e Coronel; Sabará, Delém, Pinga, Rubens e Teotônio. Técnico: Gradim.

Telê Santana e Paulinho, os operários do Fluminense. Crédito: revista do Esporte.

Campeão carioca de 1959 e campeão do Torneio Rio-São Paulo de 1960, Paulinho fez parte de um momento vitorioso na história do clube das Laranjeiras!

Mas o valente Paulinho não é lembrado apenas por seus notáveis atributos técnicos. Sua trajetória é até hoje documentada pela grande capacidade de roubar a bola sorrateiramente de seus adversários.

Em entrevista para a revista do Esporte número 199, edição de 29 de dezembro de 1962, Paulinho revelou aos leitores que o apelido de “ladrão” nunca o incomodou, pelo contrário:

– “Não lembro se foi alguém da imprensa que me batizou de Paulinho Ladrão… No começo eu era apenas o “Marcador-Relâmpago”… O certo é que o “Ladrão” ganhou mais força e provavelmente ficará comigo pelo resto de minha vida”.  

O esforçado Paulinho permaneceu no Fluminense até o findar do primeiro semestre de 1963, ano em que foi transferido para o Botafogo de Futebol e Regatas (RJ).

Edmilson e Paulinho. Crédito: revista do Esporte.

Edmilson e Paulinho. Crédito: revista do Esporte número 203 – 26 de janeiro de 1963.

Jogando pelo Fluminense, Paulinho disputou ao todo 203 compromissos e marcou 44 gols entre os anos de 1959 e 1963.

Além do servir o selecionado carioca, Paulinho também defendeu o Bonsucesso (RJ) e o Canto do Rio (RJ). (*) Algumas fontes registram ainda uma passagem pelo Clube Náutico Capibaribe (PE).

Regularmente lembrado pela diretoria do Madureira, Paulinho recentemente foi homenageado no auditório do clube com o filme “Um Craque Esquecido”.

O rico documentário de sua carreira foi produzido em uma parceria entre a Escola de Samba Portela e a produtora Canto de Sala.

Humilde e sempre simpático, Paulo Ribeiro Omena continua morando no Rio de Janeiro e está aposentado.

Crédito: revista do Esporte.

Paulinho também passou pelo Botafogo (RJ). Crédito: revista do Esporte.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Milton Neves), revista A Gazeta Esportiva Ilustrada, revista do Esporte, revista do Fluminense, revista Manchete Esportiva, revista O Globo Sportivo, Jornal do Brasil, Jornal dos Sports, agenciaoglobo.com.br, campeoesdofutebol.com.br, fluminense.com.br, madureiraec.com.br, site do Milton Neves.

Anúncios