Tags

, , ,

Filho de libaneses, o curitibano Gassem Salim Youssef nasceu em 18 de março de 1958. Despontou no futebol varzeano da capital paranaense, até ser notado por Ernesto Marques, um reconhecido descobridor de talentos.

Bem recomendado aos times de base do extinto Colorado Esporte Clube (PR), o jovem Gassem jogava inicialmente pela meia-cancha, o que não impedia o seu aproveitamento em outras posições.

Com boa impulsão e muita qualidade na saída de bola, Gassem foi escalado como quarto-zagueiro pelo técnico Armando Renganeschi, uma iniciativa que apresentou bons resultados no esquema de jogo adotado em 1976.

E graças ao mesmo Armando Renganeschi, Gassem deixou de lado o hábito de aplicar os tão criticados “carrinhos” de frente, um recurso temerário que poderia lesionar os adversários. (Revista Placar número 486 – 17 de agosto de 1979).

O promissor Gassem permaneceu nas fileiras do Colorado até 1980, quando seus direitos foram negociados com o São Paulo Futebol Clube, na época orientado pelo técnico Carlos Alberto Silva.

Quando jogava pelo extinto Colorado Esporte Clube (PR), Gassem aparece na saudosa Coleção “Ping Pong Futebol Cards”. Crédito: albumefigurinhas.no.comunidades.net.
Na Vila Capanema pelo campeonato paranaense, Colorado e Athletico Paranaense ficaram no 0x0. No lance, Gassem chega duro no atacante do “Furacão”. Foto de José Eugênio Crédito: revista Placar número 472 – 11 de maio de 1979.

No time do Morumbi, Gassem também foi utilizado como médio-volante. Pouco depois encontrou pela frente uma difícil missão, já que *Dario Pereyra e Oscar eram intocáveis na zaga do tricolor.

(*) Dario Pereyra chegou ao São Paulo para jogar como meio-campista. Com um histórico inicial de várias contusões, o uruguaio acabou improvisado na zaga em 1980 e não saiu mais da equipe.

Abaixo, uma das atuações de Gassem jogando como médio-volante no início do campeonato paulista de 1980, momento em que Dario Pereyra estava no departamento médico e Oscar ainda acertava o seu retorno ao futebol brasileiro:

22 de maio de 1980 – Campeonato Paulista – Primeiro Turno – América (São José do Rio Preto) 1×1 São Paulo – Estádio Mário Alves de Mendonça (São José do Rio Preto – SP) – Árbitro: Romualdo Arppi Filho – Gols: Petróleo para o América aos 15’ do 1° tempo; Nei para o São Paulo aos 40’ do 2° tempo.

América: Luís Fernando, Berto, Mauro, Camilo (Jorge Lima) e Ferreira; Gérson Andreotti, Rotta e Marcelo; Marinho, Petróleo e Mazola. Técnico: Wilson Francisco Alves. São Paulo: Waldir Peres, Getúlio, Nei, Jayme e Heriberto; Gassem, Renato e Aílton Lira (Assis); Edu Bala, (Paulo César), Serginho e Zé Sérgio. Técnico: Carlos Alberto Silva.

O Colorado que conquistou o primeiro turno do campeonato paranaense. Em pé: Ari, Gassem, Caxias, Levir Culpi, Helinho e Paulo Roberto. Agachados: Buião, Jorge Nobre, Tião Marçal, Osmar e Zé Carlos. Foto de José Eugênio. Crédito: revista Placar número 476 – 8 de junho de 1979.
No Colorado (PR), Gassem encantou o técnico Armando Renganeschi. Mudou de posição e não saiu mais do time! Foto de José Eugênio. Crédito: revista Placar número 486 – 17 de agosto de 1979.

Bicampeão paulista nas temporadas de 1980/1981, Gassem participou ainda das campanhas no vice-campeonato paulista de 1982/1983. Em 1984 o zagueiro paranaense voltou ao Colorado Esporte Clube (PR), lá permanecendo até 1985.

Pelo São Paulo foram 199 partidas disputadas; com 96 vitórias, 63 empates, 40 derrotas e 2 gols marcados. Os números foram publicados pelo “Almanaque do São Paulo”, do autor Alexandre da Costa.

Depois do Colorado, Gassem passou bem pelo Sport Club do Recife (PE) entre 1985 e 1986. Na temporada de 1987 voltou ao futebol paulista para defender o Grêmio Novorizontino.

Jogou ainda pelo Pinheiros (PR) em 1988, Blumenau (SC) entre 1988 e 1989, Central Brasileira de Cotia (SP) em 1989, Guarany de Cruz Alta (RS) de 1990 até 1992 e novamente o Blumenau em 1993, quando deixou os gramados.

No papel de treinador, Gassem Salim Youssef construiu uma carreira sólida e diversificada em vários clubes no cenário catarinense e paranaense. Era um nome respeitado e sempre lembrado pelos dirigentes.

Pronto para encarar o desafio, Gassem é apresentado no São Paulo. Foto de Jorge Éder. Crédito: revista Placar número 511 – 15 de fevereiro de 1980.
Pelo segundo turno do campeonato paulista, o Corinthians de Sócrates venceu o São Paulo de Gassem por 1×0 no Morumbi. Foto de Pedro Martinelli. Crédito: revista Placar número 698 – 7 de outubro de 1983.

Começou sua caminhada como treinador no mesmo Blumenau Esporte Clube (SC) em 1995, equipe que orientou até 1996, embora alguns registros apontem o seu início como treinador no Guarany de Cruz Alta (RS).  

Em seguida, Gassem trabalhou no Grêmio Esportivo Juventus de Jaraguá do Sul (SC) em 1997, mesmo ano em que comandou o Brusque Futebol Clube (SC).

Na sequência dirigiu o Figueirense Futebol Clube (SC) em 1998 e o Rio Branco Sport Club da cidade de Paranaguá (PR) entre 2000 e 2004 e novamente em 2013.

Algumas fontes apontam também passagens pelo Araranguá Esporte Clube (SC), Clube Atlético Metropolitano (SC) em 2003 e pelo Operário Ferroviário Esporte da cidade de Ponta Grossa (PR).

De acordo com o site Terceiro Tempo (Seção Que Fim Levou) do jornalista Milton Neves, Gassem reside atualmente em Pontal do Paraná (PR), na região litorânea de Paranaguá.

Uma das formações do Sport Recife na temporada de 1985. Em pé: Orlando, Betão, Gassem, Valdir, Cléber e Paulo César. Agachados: Mílton Cruz, Douglas Onça, Luís Carlos, Ângelo e Joãozinho. Foto de Maurício Coutinho. Crédito: revista Placar número 789 –  5 de julho de 1985.
No canto direito, de boné, o técnico Gassem conversa com parte do elenco do Rio Branco Sport Club de Paranáguá (PR). Foto de Jáder da Rocha. Crédito: revista Placar número 1169 – Novembro de 2000.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Arnaldo Ribeiro, Emanoel Mattos, Jáder da Rocha, João Carlos Rodriguez, Jorge Éder, José Eugênio, Lenivaldo Aragão, Maurício Coutinho, Pedro Martinelli e Roberto José da Silva), revista Manchete Esportiva, Jornal A Gazeta Esportiva, campeoesdofutebol.com.br, saopaulofc.net, site do Milton Neves (por Rogério Micheletti), Almanaque do São Paulo – Alexandre da Costa, Livro: A História do Campeonato Paulista – André Fontenelle e Valmir Storti – Publifolha, albumefigurinhas.no.comunidades.net.