Tags

, , ,

Na edição de 28 de março de 1961, o jornal “A Noite” apresentou aos leitores os detalhes da apresentação do mineiro Hilton Oliveira no Fluminense.

Hilton Oliveira desembarcou no Rio de Janeiro acompanhado do pai José Sátiro e do representante de futebol do Cruzeiro, o senhor Edmundo Lambertucci.

O clube carioca precisou desembolsar o considerável montante de 2 milhões e 300 mil cruzeiros pelos direitos do jogador. Também ficou acertado uma partida amistosa em Belo Horizonte, com a arrecadação destinada ao Cruzeiro.

Com a voz embargada, seu José Sátiro não parecia totalmente preparado para ficar longe do filho, embora seu apoio incondicional continuasse inflexível no propósito de ver o rapazola feliz no cenário carioca!

Aproveitando de uma pausa nas formalidades com os dirigentes do Fluminense, Hilton Oliveira e Edmundo Lambertucci não perderam tempo e foram conhecer alguns dos encantos da “Cidade Maravilhosa”.

Apresentado nas Laranjeiras em 27 de março de 1961, o feliz Hilton Oliveira aguarda os exames médicos para depois firmar compromisso com o Fluminense! Crédito: Jornal A Noite – 28 de março de 1961.

Escurinho e Hilton Oliveira. Uma boa disputa pela ponta-esquerda nas Laranjeiras! Crédito: revista do Esporte.

Filho de José Sátiro de Oliveira e Ligia de Oliveira, Hilton José de Oliveira nasceu em Belo Horizonte (MG) no dia 30 de setembro de 1940.

Das peladas de rua no bairro de Carlos Prates, o jovem Hilton Oliveira encontrou o sucesso no futebol varzeano da região, até ser encaminhado aos quadros amadores do Esporte Clube Renascença (MG).

Permaneceu nas fileiras do Renascença até 1958, quando foi bem recomendado ao Cruzeiro Esporte Clube (MG). Ágil e destemido, o atacante logo subiu nos conceitos do treinador Danilo Alvim.

Dono de um futebol alegre e vistoso, Hilton Oliveira participou com destaque no elenco que conquistou a Copa Belo Horizonte de 1960 e o campeonato mineiro, nas edições de 1959 e 1960.

No mês de março de 1961, os direitos de Hilton Oliveira foram negociados com o Fluminense Football Club (RJ), que naquela oportunidade já manifestava sua preocupação com o avanço da idade do afamado Escurinho.

Hilton Oliveira estava em casa quando foi surpreendido com a notícia de sua transferência para o Fluminense! Crédito: revista do Esporte número 114.

Hilton Oliveira recebeu do Fluminense 300 mil cruzeiros de luvas e acertou o salário em 24 mil cruzeiros mensais! Crédito: revista do Esporte número 114.

Contudo, sua passagem pelo time das Laranjeiras apresentou altos e baixos, o que foi aos poucos minando seu costumeiro entusiasmo!

Fora o visível descontentamento pelo revezamento com Escurinho, a habilidade de Hilton Oliveira esbarrava nas exigências táticas do treinador Zezé Moreira.

Abaixo, a primeira participação de Hilton Oliveira pelo Fluminense no Torneio Rio-Paulo de 1961, uma tarde brilhante para o quadro carioca:

9 de abril de 1961 – Torneio Rio-São Paulo – Fluminense 7×0 Portuguesa de Desportos – Estádio das Laranjeiras – Árbitro: Anacleto Pietrobom – Gols: Jair Francisco, Paulinho, Telê Santana e Waldo (4).

Fluminense: Castilho; Marinho, Pinheiro e Altair; Edil e Clóvis; Telê Santana, Waldo, Paulinho (Odair), Jair Francisco e Escurinho (Hilton Oliveira). Portuguesa de Desportos: Chamorro; Hermínio, Murilo (Lever) e Jutis; Odorico e Alberto; Jair da Costa, Sílvio, Servílio, Ocimar (Didi) e Nilson (Babá).

Escurinho e Hilton Oliveira. Qualidade de sobra no corredor esquerdo! Crédito: revista do Esporte número 127.

O quadro do Cruzeiro, com Tostão apontado como a grande estrela do time! Em pé: Dilsinho, Fábio, Vavá, Benito, Massinha e Émerson. Agachados: Luís Carlos, Tostão, Wilson, Dirceu Lopes e Hilton Oliveira. Crédito: revista do Esporte número 261.

Hilton Oliveira retornou ao mesmo Cruzeiro em 1963, ainda que algumas fontes apontem também uma rápida passagem pelo Clube de Regatas do Flamengo (RJ).

O certo é que seu período no futebol do Rio de Janeiro implicou em um grande amadurecimento técnico, fator que contribuiu para o ponteiro-esquerdo viver sua fase mais produtiva nos gramados!

Abaixo, os registros do “massacre” azul sobre o poderoso Santos, no primeiro confronto decisivo da Taça Brasil de 1966:

30 de novembro de 1966 – Taça Brasil – Cruzeiro 6×2 Santos – Estádio do Mineirão – Árbitro: Armando Marques – Gols: Toninho Guerreiro (2) para o Santos; Zé Carlos (contra), Dirceu Lopes (3) Natal e Tostão para o Cruzeiro – Cartão vermelho: Procópio (Cruzeiro) e Pelé (Santos).

Cruzeiro: Raul; Pedro Paulo, Willian, Procópio e Neco; Wilson Piazza, Dirceu Lopes e Tostão; Natal, Evaldo e Hilton Oliveira. Técnico: Airton Moreira. Santos: Gylmar; Carlos Alberto Torres, Mauro Ramos, Oberdan e Zé Carlos; Zito e Lima; Dorval, Toninho Guerreiro, Pelé e Pepe. Técnico: Lula. 

A memorável conquista da Taça Brasil de 1966. Partindo da esquerda; Hilton Oliveira, Wilson Piazza e Tostão. Crédito: revista Placar – As maiores torcidas do Brasil – Abril de 1979.

A inesquecível linha de ataque do Cruzeiro. Partindo da esquerda; Natal, Evaldo, Tostão, Dirceu Lopes e Hilton Oliveira. Crédito: revista do Esporte número 452 – 4 de novembro de 1967.

Pelo “estrelado” time do Cruzeiro, Hilton Oliveira faturou muitos títulos. Era um dos destaques da equipe que dominou o futebol de Minas Gerais e encantou o Brasil em 1966.

Foi pentacampeão mineiro entre 1965 e 1969, além da grande conquista da Taça Brasil de 1966, com dois marcantes triunfos diante do quase imbatível Santos de Pelé. 

Vivendo um grande momento, Hilton Oliveira foi lembrado pelo técnico Aymoré Moreira para defender a Seleção Brasileira. Com três empates (0x0, 2×2 e 1×1) contra o Uruguai, o escrete canarinho faturou a Copa Rio Branco de 1967.

Depois de encerrar o seu vínculo profissional com o Cruzeiro em 1970, Hilton Oliveira firmou compromisso com o América Futebol Clube (MG), o seu último clube.

Acometido por uma pneumonia, Hilton José de Oliveira faleceu no dia 3 de março de 2006 em Belo Horizonte (MG).

Natal e Hilton Oliveira. O Cruzeiro também era muito forte pelas pontas! Crédito: revista do Esporte número 476.

De toalha nas costas, Hilton Oliveira em treinamento do Cruzeiro. Crédito: revista Grandes Clubes Brasileiros.

Créditos de imagens e informações para a criação do texto: revista Placar (por Auremar de Castro, Michel Laurence e Raul Quadros), revista do Esporte, revista Esporte Ilustrado, revista Grandes Clubes Brasileiros, revista Mineirão – Enciclopédia do Futebol Mineiro, revista O Cruzeiro, Jornal A Gazeta Esportiva, Jornal A Noite, Jornal dos Sports, Jornal Estado de Minas, Jornal O Globo, campeoesdofutebol.com.br, cruzeiro.com.br, fluminense.com.br, globoesporte.globo.com (por Marco Antônio Astoni), site do Milton Neves (por Gustavo Grohmann).